A fila da dor: HRT tem 81 pessoas aguardando para fazer cirurgia ortopédica

Segundo direção do Hospital Regional de Taguatinga, falta de perfuradores e de anestesistas dificulta procedimentos

atualizado 29/09/2020 21:03

Hospital Regional de Taguatinga (HRT)Rafaela Felicciano/Metrópoles

O Hospital Regional de Taguatinga (HRT) está com dificuldades para realizar cirurgias ortopédicas. Segundo a direção da unidade de saúde, a falta de perfuradores e de anestesistas impossibilita que a instituição zere a fila de 81 pacientes que aguardam esses procedimentos.

“Estamos com problema nas nossas perfuradoras, que são extremamente necessárias pra fazer a cirurgia”, explicou o diretor do HRT, Wendel Moreira. Ele afirma que o hospital tentou consertar cinco desses equipamentos, mas não conseguiu.

“Vamos pegar perfuradores emprestados no Gama para agilizar as cirurgias”, revelou Wendel. O HRT pediu para a Secretaria de Saúde a aquisição de novos equipamentos. Em julho, o órgão remanejou mais de 40 pacientes da ortopedia do HRT para outros hospitais da rede pública, pois a unidade operava acima da capacidade.

Ainda segundo Wendel, outro problema é que cinco anestesistas da instituição pediram exoneração, e o hospital não consegue cumprir a carga horária necessária para realizar as cirurgias. “Precisaríamos de mais 24 anestesistas para ter um giro de cirurgias confortável”, avaliou o diretor. Segundo ele, a anestesia do HRT tem déficit de 484 horas de trabalho semanal. “Estamos tendo dificuldades”, concluiu.

A pedagoga Francisca Teles conta que a mãe, de 81 anos, está internada no HRT desde 5 de setembro, sem perspectiva de fazer a cirurgia ortopédica. “Minha mãe fraturou o fêmur e, todo esse tempo, ela passou no pronto-socorro. Primeiro, informaram que só havia um perfurador funcionando. Hoje, a história é de que não tem anestesista”, lamentou.

“Uma idosa esperar todo esse tempo para fazer a cirurgia, descaso total. Falta de transparência nas informações. A sensação é de pleno esquecimento”, protestou a pedagoga. Na semana passada, a mãe de Francisca foi reconduzida para a enfermaria, no quarto andar do HRT.

“Já vi senhoras que esperaram mais de dois meses para fazer a cirurgia. Entende-se que a prioridade lá são os pacientes da Covid-19”, reclamou.

O que diz a Secretaria de Saúde

Procurada, a Secretaria de Saúde informa que, após uma reunião com as demais superintendências regionais de Saúde do Distrito Federal, foi firmado um acordo de cooperação entre as unidades, que cederam mais dois perfuradores ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT), de forma provisória. Acrescenta que o HRT recebeu os equipamentos, e eles encontram-se à disposição da equipe multiprofissional da unidade para uso.

0

Últimas notícias