A cada 24h, 253 motoristas são multados por uso do celular no DF

Outra infração que preocupa o órgão fiscalizador é o excesso de velocidade, que foi a conduta de trânsito mais flagrada no DF em 2021

atualizado 15/01/2022 8:43

Agentes do Detran fardados, de costasRafaela Felicciano/Metrópoles

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) registrou um aumento de quase 31% nas infrações por uso de celular ao volante nas vias da cidade em 2021, quando comparado ao ano anterior. De acordo com o balanço, em 2020, foram 70.587 autuações. No ano seguinte, o número subiu para 92.482, o que dá 253 ocorrências a cada 24 horas.

Apesar de estar presente no dia a dia da população, na maioria das atividades, o aumento de multas por uso indevido do aparelho celular serve como alerta para a responsabilidade do motorista no trânsito.

“É preciso ter consciência dos riscos aos quais estamos submetidos ou submetemos outras pessoas ao utilizarmos o celular na direção de um veículo”, enfatiza Régis Otávio, diretor de Educação de Trânsito substituto.

Outra conduta que preocupa o órgão fiscalizador é o excesso de velocidade, que foi a infração de trânsito mais flagrada no DF em 2021. O levantamento aponta que, de janeiro a dezembro do ano passado, foram registradas 1.584.122 autuações por desrespeito aos limites de velocidade da via.

“O nosso intuito maior não é multar, mas educar os condutores, e a penalidade faz parte desse processo educativo para aqueles condutores que insistem em não cumprir as normas de segurança”, explica Zélio Maia, diretor-geral do Detran-DF.

O balanço chama a atenção, ainda, para o aumento no número de multas por falta de uso do cinto de segurança. Além de ser item obrigatório, o equipamento evita danos de maior gravidade e protege os passageiros do veículo em casos de acidente.

Ainda que seja indispensável, o departamento emitiu 98.750 infrações por não uso do dispositivo, em 2021. Esse tipo de autuação também teve um aumento significativo desde 2020, quando foram registradas 87.772 ocorrências do caso.

0

Beber e dirigir, não!

Nem sempre o alto valor da multa reduz a incidência de uma infração, como é o caso da alcoolemia ao volante, que tem multa de R$ 2.934,70 e prevê suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Responsável por colocar em risco a segurança no tráfego de veículos nas vias da capital do país, a infração por alcoolemia também registrou aumento no último ano. O número passou de 21.846, em 2020, para 27.195.

Para o diretor de Policiamento e Fiscalização de Trânsito, Glauber Peixoto, o alto quantitativo é reflexo da intensificação das operações com o foco na Lei Seca.

“Esses dados comprovam o empenho do Detran e dos demais órgãos de fiscalização viária em garantir segurança no trânsito à população do Distrito Federal. O nosso objetivo é preservar vidas”, reforça.

O levantamento também destaca a quantidade de condutores que insistem em estacionar o veículo de maneira irregular nas ruas do DF. Somadas todas as situações previstas no artigo 181 do Código de Trânsito Brasileiro, o resultado é 138.684 autuações registradas em 2020.

Veja as principais autuações dos últimos três anos:

 

Redução de acidentes com mortes

Em 2021, o DF registrou redução de 26% no quantitativo de mortes no trânsito, em relação ao ano anterior. Mesmo com os dados positivos, o diretor-geral do Detran alerta aos condutores para que respeitem as leis, não apenas pelo receio de ser punido, mas, principalmente, em atenção à vida, a fim de evitar acidentes.

“Precisamos resgatar o senso de responsabilidade e cidadania dos nossos condutores. Eles precisam se conscientizar de que, ao infringir uma regra de trânsito, a multa é o menor dos males, se comparado à possibilidade de provocar um acidente e ceifar uma vida ou deixar uma pessoa inválida de forma permanente”, destaca Zélio.

Mais lidas
Últimas notícias