Hospital Santa Lúcia é referência em assistência cardíaca

Pioneiro em Brasília, grupo anunciou importantes investimentos em estrutura, tecnologia, equipe médica e novo serviço, a Cardioncologia

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 02/10/2019 17:14

Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Coração (29 de setembro), o Hospital Santa Lúcia – o maior da rede privada do Distrito Federal – anunciou importantes investimentos em estrutura, tecnologia, equipe médica, além de novas atividades, como a Cardioncologia, serviço dedicado exclusivamente ao tratamento de tumores no órgão.

Considerada extremamente rara, a neoplasia cardíaca costuma surgir com mais frequência em pacientes idosos. A incidência é detectada em 0,002% a 0,03% dos pacientes em autópsias. “Tumores malignos que começam no coração são muito raros. Os metastáticos são mais comuns, ou seja, eles acontecem porque se iniciam em outros órgãos, como pele, pulmão, mama e esôfago, e acabam atingindo o coração”, ressalta o médico cardiologista do Hospital Santa Lúcia, dr. Caio Simões.

De acordo com o especialista, a doença não apresenta sintomas específicos. “Podem ocorrer dispneia, dor torácica, arritmias, perda de peso, redução do apetite, todos os sinais que podem ser confundidos com outras doenças, como insuficiência cardíaca e câncer de pulmão”, explica.

No Hospital Santa Lúcia, o ecocardiograma torácico é o exame utilizado para avaliar a localização do tumor. Se persistirem as dúvidas, podem ser utilizados exames mais precisos, como: ecocardiograma transesofágico, ressonância cardíaca (o exame padrão ouro para investigação de tumor cardíaco) ou PET Scan. “O diagnóstico definitivo é realizado com biópsia”, frisa dr. Caio.

Hugo Barreto/Metrópoles
As unidades médicas do Grupo Santa Lúcia dispõem de um parque tecnológico completo e de ponta que fazem toda a diferença na precisão e agilidade nos diagnósticos laboratoriais e de imagem

Além de atendimento emergencial, internação, UTI especializada, cirurgia de alta complexidade e procedimentos de hemodinâmica, as unidades médicas do Grupo Santa Lúcia contam com cardiologistas altamente capacitados que exercem as várias subespecialidades do segmento. Somado a isso, a equipe médica possui larga experiência técnica e liderança em cardiologia e cirurgia cardiovascular.

O Brasil registra cerca de 350 mil mortes por doenças cardíacas todos os anos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número corresponde a uma vida perdida a cada 40 segundos – duas vezes mais do que todas as mortes decorrentes de câncer e seis vezes mais do que as provocadas por todas as infecções no país, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Hugo Barreto/Metrópoles
Primeira unidade médica a realizar cirurgia cardíaca em Brasília, o Grupo Santa Lúcia
oferece o que existe de mais avançado em estrutura completa e tecnologia de ponta
para o diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares

Prevenção

Os problemas relacionados ao coração e à circulação sanguínea são responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados no Brasil. Por isso, a prevenção é fundamental. Seguindo as experiências dos grandes hospitais de Chicago, nos EUA, o Hospital Santa Lúcia foi o primeiro centro médico do Centro-Oeste a instalar o serviço de Protocolo de Dor Torácica, em 2004. “Trata-se de uma ferramenta essencial na Unidade de Pronto Atendimento para pacientes com queixas de dor torácica aguda, sintomas decorrentes de uma possível síndrome coronária aguda ou de outras doenças cardiovasculares graves”, detalha o médico cardiologista e coordenador de Cardiologia do Grupo Santa Lúcia, dr. Frederico Abreu.

Por meio desse protocolo, é possível oferecer estratégica mais eficaz no atendimento de urgência e na tomada de decisões da equipe médica, reduzindo em mais de 50% as internações desnecessárias, reduzindo custos e melhorando o bem-estar do paciente. “O principal objetivo é confirmar ou descartar diagnósticos de doenças cardiovasculares de risco, como por exemplo o infarto agudo do miocárdio, a angina instável, a embolia pulmonar e as doenças agudas da aorta”, salienta o cardiologista. No Hospital Santa Lúcia, o Protocolo de Dor Torácica é composto por sala de emergência cardiológica e três leitos equipados com monitorização contínua dos parâmetros vitais. A assistência emergencial é realizada por dois cardiologistas de plantão e por equipe de enfermagem capacitada.

Hemodinâmica

Em 2017, o Hospital Santa Lúcia Sul adquiriu uma moderna máquina hemodinâmica – a GE Innova Biplane. O equipamento, até hoje, é o único do Brasil instalado em ambiente hospitalar, e permite a obtenção simultânea de imagens de alta resolução a partir de vários ângulos e fazendo o papel de duas máquinas em uma. O setor de hemodinâmica é o local onde são estudados e tratados os problemas de circulação do sangue no organismo.

Hugo Barreto
Na foto, o Dr. Luciano Moura, cardiologista e hemodinamicista do Santa Lúcia.

Cirurgião endovascular do Hospital Santa Lúcia e um dos maiores especialistas da área no Brasil, o dr. Gustavo Paludetto pontua que a maioria das complicações cardiovasculares, como infarto, aneurisma e arritmias, é diagnosticada e tratada no setor de hemodinâmica. “As vantagens da nova máquina incluem o uso de menores doses de contraste e radiação; diminuição do tempo de cirurgia, que implica menor tempo de anestesia; maior precisão no implante de stents, micromolas e marca-passos, com menor risco e maior segurança para o paciente”, enfatiza o médico. Ainda de acordo com Paludetto, o equipamento oferece imagens de alta definição no mais elevado nível de detalhes e permite todos os tipos de reconstrução de imagens em 3D, inclusive a partir de tomografias.

A máquina GE Innova Biplane também possibilita a navegação de cateteres em imagem virtual, reduzindo a necessidade de injeção de contraste no paciente durante o ato cirúrgico. Acoplada à ultrassonografia intravascular, o equipamento permite a visualização de detalhes reais do fluxo dentro dos vasos sanguíneos. “A equipe médica também se beneficia do equipamento, já que fica exposta à radiação por menos tempo e consegue visualizar com o máximo de detalhes (com zoom de mais de 20 vezes) os vasos sanguíneos e suas alterações, além de placas de gordura existentes e aneurismas”, acrescenta Paludetto.

Cardiologia de ponta

Outros exames fundamentais que podem ajudar a identificar os pacientes que apresentam no futuro maiores chances de desenvolver doenças cardíacas é o Escore de Cálcio Coronariano e a Angiotomografia Coronariana. “São dois exames tomográficos que analisam o grau de aterosclerose das artérias sem a necessidade de procedimentos invasivos”, explica o coordenador de Cardiologia do Grupo Santa Lúcia, Dr. Frederico Abreu. A angiotomografia coronariana, inclusive, permite a caracterização de graus de obstrução das artérias cardíacas e a análise da composição das placas de ateroma, que se formam nas paredes desses vasos, fatores que influenciam para uma melhor prevenção.

 

Endereços do Grupo Santa Lúcia
www.santalucia.com.br

Asa Sul
SHLS Quadra 716, Conjunto C, Setor Hospitalar Sul – Brasília/DF
Telefone: (61) 3445-0000

Asa Norte
SHLN Quadra 516, Conjunto G, Lote 7, Asa Norte – Brasília/DF
Telefone: (61) 3448-9100

Gama
Qd 16, Área Especial 16, Lado Oeste, Setor Central – Gama/DF
Telefone: (61) 3203-9400

Samambaia (fim de 2019)
QS 114, Conjunto 4, Lote 02, Samambaia Sul – Samambaia/DF

Últimas notícias