Senado: expectativa é atrair 100 mil candidatos em concurso

A Casa quer divulgar o edital do certame para 40 vagas no primeiro semestre do próximo ano

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 06/12/2019 19:21

O Senado Federal espera divulgar o edital de seu concurso público ainda no primeiro semestre de 2020. Em audiência pública promovida nessa quinta-feira (05/12/2019), a Casa disse ter expectativa de atrair, pelo menos, 100 mil interessados na seleção.

No encontro, nove bancas candidatas a organizar o certame discutiram metodologias e sugestões para o futuro concurso. Segundo o Senado, o alto número de candidatos se deve aos cargos ofertados.

Entre as 40 vagas, incluindo as de cadastro de reserva, serão  24 oportunidades para a função de técnico legislativo, de nível médio, e para policial legislativo.

“Diante da proporção do certame que iremos realizar, pretendemos entrar em contato com diversas instituições, inclusive com aquelas que não estiveram presentes na audiência. Teremos que nos certificar que a instituição tenha capacidade operacional de executar um projeto que envolva dezenas de milhares de pessoas”, disse Roberci Ribeiro, coordenador-geral de Processos Administrativos e Contratações e presidente da Comissão Examinadora do concurso.

Entre os fatores que são avaliados para estimar a quantidade de candidatos, está a redução recente na quantidade de concursos públicos abertos pelo Poder Executivo. Outro item analisado é a atração oferecida pelo concurso do Senado em si, incluindo salários, estabilidade no cargo e as possibilidades de carreira.

O Orçamento da União do próximo ano prevê recursos para contratação de 40 aprovados. Entretanto, segundo dados do Senado, a carência atual é de 1.443 servidores.

A autorização publicada em outubro prevê 24 oportunidades para policial legislativo. A função exige nível médio completo e oferece remuneração de R$ 19,5 mil. Advogados terão quatro chances e ganhos iniciais de R$ 33 mil.

Os demais postos serão distribuídos entre as áreas administrativa (2 vagas), arquivologia (uma), assistência social (uma), contabilidade (uma), enfermagem (uma), informática legislativa (uma), processo legislativo (uma), registro e redação parlamentar (uma), engenharia de trabalho (uma), engenharia eletrônica e telecomunicação (uma).

Para esses profissionais, que devem ter graduação, o salário é de R$ 25,7 mil, com gratificação de R$ 982 de auxílio-alimentação.

Ineditismo

Os convidados elogiaram a iniciativa de realizar a audiência pública pela transparência e credibilidade que confere ao certame. Valdir Lima, do Instituto de Acesso Público, destacou que em 30 anos no ramo jamais havia tido notícia de evento semelhante. Jucélia Vieira, do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), disse ter ficado satisfeita pela metodologia do debate, pela qual todos os participantes puderam expor abertamente seus pontos de vista.

“Tivemos uma reunião para discutir aspectos de um certamente, recentemente, com uma autarquia de Minas Gerais, mas certamente não foi um encontro deste porte, em um órgão de repercussão nacional como o Senado”, destacou José Otávio Guimarães, professor da UnB e integrante do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe, antigo Cespe).

Também compareceram à audiência representantes do Instituto Acesso Público, Instituto de Acesso à Educação, Capacitação Profissional e Desenvolvimento Humano (Access), Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistência Nacional (Idecan), Fundação Getúlio Vargas (FGV), Instituto AOCP e Fundação Cesgranrio

 

 

 

 

 

Últimas notícias