Davi Alcolumbre revoga comissão e concurso do Senado está adiado

Presidente da Casa teme que haja mudanças orçamentárias que inviabilizem o certame por causa da pandemia do novo coronavírus

atualizado 26/08/2020 15:14

Davi AlcolumbreJefferson Rudy/Agência Senado

Em publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (26/8) o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, mergulha o concurso da Casa na incerteza até sua realização. Por enquanto, ele está mantido, mas a data não foi definida.

O certame prevê 40 vagas de níveis médio e superior. As expectativas de salário iam de R$ 18.591,18 a R$ 35.114,14.

A portaria revoga a composição da comissão organizadora o que, na prática, interrompe o processo que já estava na fase de seleção da banca organizadora. Três instituições ainda restavam na fase final da seleção: Cebraspe, FGV e Idecan.

0

Por causa do coronavírus

O mais preocupante para os interessados num dos concursos mais cobiçados do país são argumentos que justificam a decisão. Em particular,”incertezas relativas a questões orçamentárias decorrentes da pandemia do Covid-19“.

Alcolumbre chega a considerar “a possibilidade de que seja necessária a alocação prioritária de recursos para adoção de medidas de prevenção e combate ao coronavírus”, o que pode modificar tanto o Orçamento de 2020 como o de 2021.

O agora ex-presidente da comissão organizadora, Roberci Ribeiro de Araújo, já tinha declarado à Agência Senado em maio que “o ideal seria o concurso ser concluído este ano, pois a Lei Orçamentária é anual e contempla a nomeação dos 40 aprovados ainda em 2020. E não há como prever como será o Orçamento do próximo ano.”

De acordo com a assessoria de imprensa do Senado Federal, a Casa “vai continuar a analisar o atual cenário da pandemia e as disponibilidades orçamentárias que possam restringir as nomeações, de modo a definir o melhor momento para dar continuidade ao processo seletivo”.

 

Últimas notícias