Um olhar atento sobre o poder. Notícias exclusivas, bastidores e investigação

Advogado de Michelle Bolsonaro assume defesa de ex-ministro preso

O criminalista Daniel Bialski defende a primeira-dama em ações de danos morais movidas contra quem publicou críticas a ela na internet

atualizado 22/06/2022 12:45

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O criminalista Daniel Bialski, que tem entre seus clientes a primeira-dama Michelle Bolsonaro, assumiu a defesa do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, preso pela Polícia Federal nesta quarta-feira, por suspeita de envolvimento no balcão de negócios montado por pastores evangélicos dentro do MEC.

Bialski foi acionado pelo próprio ex-ministro após receber os agentes da PF logo cedo em sua casa, em Santos, com mandado de prisão expedido pela Justiça Federal de Brasília. Ribeiro era muito próximo de Michelle, que saiu em defesa do então ministro quando o escândalo do MEC veio à tona, no início do ano.

Milton Ribeiro deverá ser levado a Brasília para uma audiência de custódia marcada para quinta-feira. Há pouco, o novo defensor do ex-ministro fez um pedido para que o juiz do caso suspenda a ordem de transferência para a capital federal.

Ele também deve entrar com um habeas corpus, com o argumento de que os fatos pelos quais Ribeiro é investigado já ocorreram há algum tempo e que, hoje, ele não representa riscos que justifiquem a ordem de prisão preventiva.

Bialski defende Michelle Bolsonaro em ações de danos morais movidas contra jornalistas e quem fez ataques à primeira-dama nas redes sociais. A Polícia Civil de São Paulo abriu um inquérito para investigar posts publicados contra Michelle, muitos dos quais relacionados ao episódio dos cheques depositados na conta dela pelo notório Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro apontado como operador do esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

O advogado também atua na defesa do ex-governador do Rio Sergio Cabral, que segue preso após dezenas de condenações por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

Também evangélica, Michelle Bolsonaro é próxima de Milton Ribeiro, pastor  da Igreja Presbiteriana. Logo após a demissão, ela disse: “Deus vai provar que ele é uma pessoa honesta”.

Mais lidas
Últimas notícias