Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Prazer nada óbvio: explore estas 6 zonas erógenas e vá além na hora H

Especialistas elencam zonas de prazer inusitadas que merecem ser lembradas na hora da transa

atualizado 12/10/2021 17:02

Getty Images

O que te remete ao termo zona erógena? Se pensou em partes do corpo que podem despertar sensações e deixar a parceria excitada, acertou. Mas não é tão simples e nem tão óbvio. Inclusive essas áreas vão bem além das partes que muita gente pensa na hora de começar as preliminares, como as genitálias e seios, por exemplo. 

“Isso não quer dizer que todo o resto do nosso corpo não tenha potencialidade para gerar prazer e excitação sexual”. A afirmação é do terapeuta sexual André Almeida, que chama a atenção para o fato de que falar em zonas específicas é reducionista e pode acabar por ditar uma “normalidade arbitrária” complicada, já que pode excluir pessoas ou ditar uma regra que é inexistente: “Há pessoas que chegam ao orgasmo mexendo na orelha, por exemplo”, esclarece.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Para desvendar algumas áreas do corpo que podem gerar prazer, além de entender o que são as potenciais zonas sensíveis ao prazer, a Pouca Vergonha apresenta algumas dicas. A parte prática é por sua conta: se toque e se conheça. 

Desvendando a zona erógena

André Almeida explica que o termo erógeno vem da composição das palavras Eros que significa prazer e genos que é gerar: “O termo “zona” por si só é falacioso”, alerta. 

Vale ressaltar que todo o nosso corpo tem receptores de prazer e podem gerar diferentes sensações eróticas, variando de pessoa para pessoa. A pele é o maior órgão do nosso corpo e os receptores de prazer estão espalhados por toda superfície. Há locais que, em uma distribuição normal de indivíduos, tendem a gerar prazer com mais frequência, que são os mais óbvios e conhecidos como as genitálias, seios, ânus: “Mas isso não quer dizer que todo o resto do nosso corpo não tenha potencialidade para gerar prazer e excitação sexual”, afirma.

Para o especialista, as pessoas que tem a visão de “zonas” específicas de prazer, acabam reduzindo o comportamento sexual à essas partes e não focam em outras fora da genitália.

A terapeuta sexual Thalita Cesáreo, elencou seis partes do corpo que talvez você já tenha sentido prazer, mas não sabia que podia esquentar o clima. Mãos à obra, vamos ao mapa da alegria.

Axila

De acordo com a especialista, algumas pessoas tem fetiche em axilas: “Elas sentem prazer em cheirar e beijar a axila da outra pessoa na transa. Mas além do fetiche, a região também tem sensibilidade e pode provocar reações desde aquele arrepio de prazer até cócegas”,  elenca Thalita. A dica é explorar a área com toques, língua e carícias.

Joelho

Outra parte subestimada pelas pessoas é atrás do joelho: “A porção de pele atrás dos joelhos é um dos pontos erógenos mais negligenciados no corpo. Com alto potencial de excitação merece ser explorado”, sugere a especialista.

Pulso

As mãos são sempre bem-vindas na hora do sexo. Mas um pouco mais acima, temos uma parte sensível que pode gerar muito prazer: “Os pulsos merecem atenção. Beijos e carícias no local podem colaborar com a excitação feminina e masculina também mexendo com a sensibilidade e imaginário”, recomenda.

Pés

Aquela massagem nos pés já te causou muito relaxamento e prazer? Pode ser tesão! “Muitas mulheres e homens têm prazer em dar e receber uma sedutora massagem nos pés, além de outros tipos de estímulos nesse local”, afirma a especialista. Os pés podem ser explorados com toques, mãos e boca.

Costas

Sabe aquele arranhão nas costas? Mais leve ou mais intenso, dependendo do gosto dos envolvidos, pode ser ideal para despertar o tesão: “Beijos, lambidas e arranhões podem ser muito excitantes”, elenca Thalita.

Parte interna das coxas

Por último, mas não menos importante, a parte interna das coxas merece atenção, já que causa alto nível de excitação. Vale acariciar, beijar, usar a língua e a imaginação para explorar essa parte.

André ressalta que é importante que as pessoas conheçam as potencialidades do próprio corpo. Isso vai desenvolver o autoconhecimento e mais potencial erótico.

Mais lidas
Últimas notícias