Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Goza rápido demais? Entenda a ejaculação precoce feminina

Apesar de muitos acharem que atingir o clímax sexual rapidamente é uma vantagem, especialista explica malefícios e como diminuir o problema

atualizado 21/06/2021 12:29

Orgasmo femininoFoto: Andrew Bret Wallis/Getty Images

Apesar de não ser (pelo menos não deveria) o único objetivo do sexo, o orgasmo é o clímax do prazer sexual, tão desejado por todos(a). Contudo, muitas mulheres têm dificuldade ou mesmo nunca experimentaram a sensação, mesmo sendo sexualmente ativas.

Ainda que esse seja o cenário mais comum, existe também o contrário: mulheres que gozam muito rápido. Apesar de, em um primeiro momento, parecer uma benção, quem tem essa facilidade garante que não é o mar de rosas que aparenta.

Em algumas mulheres, o orgasmo vem acompanhado do squirting – jato vaginal que pode acompanhar o clímax feminino. Nesses casos, o fenômeno é chamado de ejaculação precoce feminina.

De acordo com a ginecologista e sexóloga Janayne Oliveira, isso pode ocorrer devido à hipersensibilidade dos órgãos sexuais femininos – tanto no caso do orgasmo quanto da ejaculação.

“À intensa contração das paredes da vagina e de todos os músculos da região em volta, que faz com que as glândulas de Skene se contraiam e liberem o ácido prostático, que acaba sendo diluído em alguma urina que vem da contração da bexiga”, explica.

Veredicto: é ruim

Para quem ainda não se convenceu de que gozar rápido demais não chega a ser uma vantagem, Janayne garante que a ejaculação precoce feminina é considerada um problema.

Dentre os malefícios que a condição pode trazer estão o sofrimento pelo sentimento de culpa e frustração, insatisfação sexual e até mesmo alguns problemas de relacionamento.

Para quem passa por isso e gostaria de diminuir o problema, a especialista dá algumas dicas. Confira:

Relaxe: “Que tal tentar tirar um pouco o foco do problema? Tomar um banho, fazer uma massagem e tentar relaxar antes da relação, pode contribuir para diminuir o grau de ansiedade”.

Masturbe-se: “Da mesma forma que ocorre com os homens, se masturbar antes de ter relações sexuais pode ajudar a atrasar um segundo orgasmo. A mulher precisa prestar atenção ao seu corpo e às suas sensações para entender melhor como seu corpo responde à excitação. Só controlamos o que conhecemos”.

Desacelere: “Fazer sexo de forma intensa costuma resultar em um orgasmo mais rápido. Portanto, desacelerar um pouco o ritmo das relações pode realmente ajudar”.

Aumente o tempo de preliminares: “Passe mais tempo excitando sua parceria. Porém, este método não é fácil para algumas pessoas que veem as preliminares como a melhor parte da experiência sexual. Esqueça um pouco do clitóris e tente encontrar outras regiões que também despertam o prazer. Acaricie todo o seu corpo”.

Reinicie: “Após ter tido a primeira ejaculação ou orgasmo, reinicie. Tente novamente se excitar”.

Start-stop: “É possível adaptar algumas das técnicas usadas para tratar a ejaculação precoce em homens, como a técnica “start-stop”. Ela consiste em interromper o sexo quando o orgasmo está prestes a acontecer. Depois, a estimulação é retomada, e interrompe novamente na próxima vez que o orgasmo estiver surgindo. Este ciclo de iniciar e parar a estimulação funciona como controle orgásmico em muitos homens”.

Converse sobre sexo: “O casal deve perder o medo de conversar sobre sexo para que, juntos, encontrem posições no início da relação sexual que deixam a mulher mais tranquila. Com isso, ela pratica o autocontrole e também condiciona o seu organismo”.

Evite situações de estresse: “Principalmente para casais que já têm filhos, o momento do sexo deve ser bem planejado para que a relação não seja interrompida abruptamente, evitando assim, a pressão psicológica”.

Divida a responsabilidade: “O sexo é uma troca, não é somente responsabilidade do homem ou da mulher dar prazer. Pergunte e saiba o que dar prazer a sua parceira e também compartilhe o que você mais gosta”.

Últimas notícias