Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Female friendly: saiba onde encontrar pornôs para mulheres

O segmento da indústria adulta é cada vez mais procurado e preza por sexo real, estética boa e ética nas produções

atualizado 16/10/2019 19:12

Foto: Getty Images

Por muito tempo se acreditou que pornô não era coisa para mulheres – consequência do fato de que o prazer sexual foi privado delas por um grande período, em que eram vistas apenas como meras reprodutoras. Esses tempos acabaram, e as mulheres estão cada vez mais empoderadas, conscientes de suas liberdades e donas de seus corpos, desejos e prazeres.

Na contramão, a indústria pornográfica tradicional prioriza o prazer masculino, com atrizes e atores irreais, cenas aleatórias sem muito diálogo ou história, 20 segundos de preliminares e um sexo repleto de gemidos e gritos escancaradamente falsos. Para criar conteúdos que se assemelham mais a um sexo real, gostoso e bonito de se ver, sugiram os pornôs female friendly.

Ao contrário do que se pode pensar, o conteúdo female friendly não é voltado apenas para mulheres. Ele pode ser consumido por qualquer um, mas possui uma pegada mais natural, que não objetifica mulheres ou mesmo coloca o prazer feminino de lado. Se interessou? O Metrópoles fez uma seleção de locais em que você pode encontrar esse tipo de pornô, para curtir sozinha (o) ou com a (o) crush:

Fever Films

A produtora brasileira de conteúdo adulto, criada pela estrela pornô Dread Hot, é focada em pornôs mais conscientes, com uma boa estética, bons roteiros e atuação e um ambiente saudável. As produções da Fever, que variam entre os produtos mais cinematográficos e os mais amadores, estão disponíveis em diversas plataformas já conhecidas pelos consumidores de pornô, como o PornHub, XVideos e Câmera Privê.

Em entrevista ao Metrópoles, Vitória Schwarzeluhr – nome verdadeiro de Dread Hot – argumentou que, por mais que a pornografia atual ainda traga muita coisa ruim, ela lida com os desejos mais intrínsecos do ser humano e não deve ser extinta, mas sim mudada. “O que a gente deve fazer? Um pornô melhor e consciente. O abuso, o preconceito e o machismo podem existir literalmente em qualquer lugar e são eles que precisam ser banidos, não o pornô. O mundo tem que mudar, as pessoas precisam evoluir”, garante.

Abbywinters

O Abbywinters é um site australiano, que foi criado em 2000 e é especializado em lésbicas e modelos amadoras em nu erótico solo. A proposta da empresa é mostrar cenas sexuais com pessoas reais, nada como a idealização (principalmente feminina) dos pornôs tradicionais, com atrizes siliconadas, com corpos perfeitos e supermaquiadas.

O foco no conteúdo lésbico também proporciona um material muito mais atrativo para o público desse segmento, já que vai na contramão do pornô lésbico tradicional, que é 100% voltado para o imaginário masculino em vez de para como realmente é uma transa entre duas mulheres.

Bellesa

A companhia Bellesa acredita que a sexualidade na internet deveria retratar a mulher tal qual ela realmente é – parte ativa no prazer, não só um objeto. Para atingir este objetivo, o site oferece uma grande variedade de materiais deliciosos, que não se limitam a filmes e vídeos, mas também incluem artigos sobre sexo e sexualidade e histórias eróticas escritas, para aquelas (ou aqueles) que gostam de deixar a parte visual por conta da imaginação.

Sssh

“Feito por elas e para elas”. É o lema da Sssh, site que oferece conteúdo produzido eticamente e pensado a partir das fantasias e desejos das próprias membros da empresa, que se enquadra no que a própria Sssh categoriza de “pornô feminista para mulheres e casais”. A marca se preocupa em produzir materiais atrativos e esteticamente bonitos de se ver – a começar pelo design do site. Em seus diferenciais, o site oferece vídeos com tecnologia 360°, nos quais o consumidor pode fazer um verdadeiro tour pela cena.

I Fell Myself

Além de também se dedicar à estética artística e ética de seus materiais, a I Fell Myself é especializada no auto prazer da mulher, ou seja, na masturbação. A intenção é levar filmes de mulheres reais tendo orgasmos reais, priorizando também a questão dos corpos naturais nos elencos. Afinal, é importante reforçar a ideia de que não precisamos, necessariamente, de terceiros para sentir prazer. Se conhecer é essencial, até mesmo para melhorar a qualidade do prazer a dois.

Joy Bear

O sexo real, com todos os seus pormenores, é o que é valorizado pela Joy Bear. Assim como uma transa nem sempre é perfeita e tem seus momentos inusitados, os filmes da marca também têm essa pegada, sem cortes para aperfeiçoar o ato sexual – o que faz os consumidores se sentirem ainda mais próximos do que estão vendo.

Seguindo o padrão de ética e estética, o portal também valoriza muito o beijo durante as relações e tem como missão trabalhar para criar um mundo em que o sexo seja visto de uma forma positiva, não como um tabu.

Últimas notícias