Deixe os tabus do lado de fora e pode entrar. Tudo sobre sexo, para você gozar a vida.

Eliana acha “maravilhoso”. Veja se há riscos em se masturbar demais

A sexóloga Jéssica Siqueira, da plataforma Sexo sem Dúvida, elenca os benefícios e riscos da masturbação

atualizado 27/07/2022 19:30

Ideia à Venda, com Eliana Reprodução

É bom, saudável, faz bem para a pele, melhora a autoestima e é indicado por especialistas. Embora ainda seja uma prática cercada por tabus, a masturbação está inserida na vida das pessoas — e sem culpa! A apresentadora Eliana deu o que falar ao afirmar, em entrevista à Giovanna Ewbank e Fernanda Paes Leme no Quem Pode, que é adepta da prática:“Vou te contar uma coisa. É maravilhoso se tocar. E têm que fazer isso”, disse.

É preciso assumir que embora o assunto ganhe cada vez mais destaque na mídia, por conta do tema autoprazer ter virado uma pauta recorrente, ainda existem muitas dúvidas e mitos sobre masturbação. Por exemplo: como tudo feito em excesso, se masturbar demais pode, sim, trazer prejuízos.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

A Pouca Vergonha já deu dicas reveladoras de como aproveitar o próprio prazer e chegar lá. Ouvimos mulheres que entendem do assunto e têm o hábito da masturbação como parte da rotina. Especialistas, por sua vez, contaram se existe quantidade ideal na frequência da prática.

Agora, vamos elencar os benefícios desse hábito tão prazeroso, e também os possíveis riscos. Confira.

Afinal, se masturbar todo dia é saudável?

A sexóloga Jéssica Siqueira, da plataforma Sexo sem Dúvida, esclarece que o ato leva ao orgasmo, gerando prazer e liberando hormônios que trazem a sensação de bem-estar: “São os mesmos benefícios proporcionados pela relação sexual, aliviando o estresse, fazendo a manutenção e promovendo o aumento do desejo sexual, além de auxiliar na autodescoberta do prazer e do autoconhecimento”, detalha.

De acordo com a especialista, a masturbação ainda é uma prática cercada por muitos tabus. “Principalmente porque as pessoas associam como um substituto do relacionamento sexual, tem gente que chega a sentir ciúme quando o par chega ao orgasmo a sós”, explica. Por conta desse conceito errôneo, as pessoas ainda associam-na a outros prejuízos e temem o vício na masturbação.

Apesar de existir esse risco e ser um problema sério, é preciso ressaltar que só chega a ser considerado vício quando prejudica as funções do dia a dia.

“Quando acontece algum comprometimento da vida funcional, como a pessoa deixar de sair com amigos para ficar só na masturbação. E ainda há um outro risco associado: a dependência da pornografia, fazendo a pessoa se isolar e evitar contatos sociais para viver o próprio vício”, esclarece.

Ou seja, quando os prejuízos chegam nesse nível, é hora de ligar o sinal de alerta. 

Na rotina

Para incluir em uma rotina saudável, existem diferentes formas:

“Chame a parceria na hora do sexo para uma masturbação mútua, tente incluir a prática como casal. Ou se estimule a sós, com o intuito de se dar prazer”, sugere.

Riscos X Benefícios

No fim das contas, os benefícios superam os riscos, e inserir a masturbação na rotina é bem mais benéfico do que prejudicial. Vale sempre ter equilíbrio e não deixar qualquer prática, por mais prazerosa que seja, tomar o lugar de outras atividades do dia a dia.  A qualquer sinal de excesso e comportamentos nocivos à própria saúde, procure um especialista.

Mais lidas
Últimas notícias