Celebridades, subcelebridades e tudo sobre televisão de maneira ácida e divertida.

Carlos Bolsonaro comenta notícia sobre vibrador e internet se diverte

"Meu Dels", escreveu o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no post da Folha de S.Paulo sobre a atriz Fernanda Paes Leme

atualizado 16/08/2020 14:02

Carlos BolsonaroReprodução/Instagram

Em entrevista à revista Glamour, a atriz Fernanda Paes Leme contou que já quebrou um vibrador após usá-lo diversas vezes. O apetrecho se chamava Terceiro e foi um presente de um ex-namorado. “De tanto eu usar, parou de funcionar”, disse.

A fala se espalhou pela internet e virou matéria do jornal Folha de S. Paulo. Vários famosos comentaram a notícia, inclusive o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). “Meu Dels”, escreveu o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

0

O comentário rendeu risadas aos usuários da rede social. “E o seu Carluxo, como chama?”, escreveu um. “Acho que o do carluxo chama exatamente ‘mel dels’. Não foi um mera interjeição. Fosse o irmão embaixapeiro, seria ‘OMG'”, respondeu o outro.

Muitas figuras políticas de direita criticaram o jornal por falar sobre sexualidade e masturbação feminina. Rodrigo Constantino escreveu no Twitter: “Isso sim, parece mais adequado como ‘furo’ da Foice”. O secretário de Cultura, Mario Frias, respondeu o post do jornalista: “Q vida solitária não?”.

Sobre a entrevista

Em quarentena há cinco meses, Fernanda Paes Leme falou um pouco na entrevista sobre como aliviou a carência durante o isolamento.

“O terceiro já me ajudou muito e tem me ajudado muito na quarentena. Na minha tomada fica o carregador do celular e do vibrador. Está tudo tão difícil, a gente já está sozinho, se não puder gozar, se não puder se masturbar –essa palavra tem que ser normalizada– vai ficar pior ainda”, afirmou ela.

Após a notícia viralizar, a atriz foi ao Instagram comentar o post. Confira o texto completo de Fernanda:

 

Ver essa foto no Instagram

 

É ótimo ser uma mulher livre, independente, ativa, feminista. É realmente ótimo. Mas algumas coisas ficam confusas no meio do caminho sobre como nós, mulheres contemporâneas somos vistas ou definidas. Dia desses numa live que participei falando sobre minha websérie, eu mencionei, por alto, brincando, que meu vibrador quebrou do tanto que usei. Acontece, a peça tinha anos de uso. Quebrou mesmo. Demos risadas. Próximo tema… Porém vejo dia após dia, notificações e marcações sobre vibrador, vibrador, vibrador… Lancei o quarto episódio de FAKE LIVE na sexta e… Vibrador, vibrador, vibrador. Eu quero deixar claro que não tenho problema nenhum em usar e falar sobre um vibrador, tanto que falei e falo normalmente. Atenção pra palavra NORMALMENTE, pq isso que é, NORMAL. É normal se dar prazer, saudável até, tb é normal não querer (mas recomendo). Porém não é uma notícia. Ou não deveria ser naquele contexto. Não me incomoda a ponto de ficar mal, irritada, mas me entristece trabalhar, produzir, filmar, colocar um produto no ar, se virar pra reinventar minha profissão nesses momentos, e ser resumida nas chamadas de imprensa a uma pessoa que aparentemente fica em casa o dia inteiro se masturbando. Me entristece pq não é verdade e pq me limita, me apaga como profissional, afinal minha arte que deveria ser notícia naquele dia. A live era sobre isso. Não sobre sexo, nem autoprazer. Assunto que já falei abertamente pq acho importante que mulheres se conheçam, havia um intuito por trás disso. Não era o caso dessa vez. É frustrante que tenham absorvido apenas isso de um papo tão bacana. Enfim. Fica aqui minhas recomendações: assistam #FakeLive em meu IGTV, mastuberm-se e normalizem o autoprazer. Mulheres também gozam! É normal, tá?!

Uma publicação compartilhada por Fernanda Paes Leme (@fepaesleme) em

Últimas notícias