Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

Como transformar Big Data em receitas de Marketing?

Os dados do cliente são uma excelente ferramenta para ajudar a projetar campanhas eficazes, avalia o jornalista Adriano Silva

atualizado 24/05/2022 15:20

Teera Konakan/GettyImages

As empresas usam big data para analisar sua base de clientes e explorar oportunidades em seu espaço de mercado. O Big Data se refere a tecnologias que armazenam, analisam e gerenciam dados grandes e complexos. Por meio dos dados dos clientes, as necessidades dos consumidores podem ser facilmente identificadas e atendidas fornecendo bens ou serviços melhorados. Ele também elimina a adivinhação para os estrategistas de marketing, pois eles podem determinar rapidamente o comportamento de compra de um cliente e usá-lo como base para campanhas.

Em última análise, o objetivo de coletar e analisar dados dos clientes é conhecer seu perfil, estudar seus interesses e preferências de produtos e orientá-los para uma venda ou transação bem-sucedida com a empresa. Em essência, o Big Data é transformado em receita de marketing por meio de vários métodos. A seguir aponto quatro maneiras de se utilizar essa poderosa ferramenta dentro do marketing:

Empregar big data no marketing

Os dados do cliente são uma excelente ferramenta para ajudá-lo a projetar campanhas de marketing eficazes. Analisando os perfis dos clientes, os empreendimentos podem entender melhor o seu público-alvo. Com efeito, esse entendimento vai ajudar no procedimento na hora de fazer a curadoria de uma campanha que atraia a atenção, desperte a curiosidade do mercado e convide novos players.

A título de exemplo, as empresas podem utilizar cookies coletados da atividade web do cliente para aprender seus interesses, históricos de compra e perfil geral. Com essas informações em mãos, elas conseguem adaptar suas campanhas subsequentes de uma maneira que melhor se adapte ao seu público-alvo. Dessa forma, podendo minimizar erros estratégicos que podem dificultar o sucesso de suas campanhas. Além disso, também há a possibilidade de ajudá-la a economizar tempo, esforço e recursos em suas estratégias de marketing avançando.

Para maximizar seus recursos e obter resultados ideais, essas companhias precisarão de ferramentas de análise de dados que podem auxiliar a interpretar grandes quantidades de dados e coletar informações essenciais sobre o seu mercado. Ademais, esses recursos organizam informações, analisam resultados de campanhas de marketing, planejam campanhas e é claro, alocam orçamento de forma mais eficiente.

Estratégias de engajamento do cliente baseadas em dados

Em se tratando de engajamento, as empresas podem usar big data para projetar estratégias que aumentam o alcance até o cliente, avatar em potencial. Por meio do estudo psicológico do consumidor, dado por meio de fatores como a interação do público-alvo com sua marca e as razões pelas quais uma ação específica consegue mais influência, partindo de uma análise baseada na maior quantidade de características possíveis, desde o horário, o tempo até o design. Identificar esses tópicos é essencial no processo de agregar o valor do cliente para com a marca, seja mediante interações on-line ou off.

A análise de big data também pode fornecer informações cruciais para fazer ajustes quando necessário. Por exemplo, uma cooperativa pode observar qual dos seus produtos existentes obtém mais e menos engajamento. Com essas informações, ela pode elaborar um plano para ajudar a atrair mais atenção para itens menos envolventes ou realinhar seus recursos para o desenvolvimento de produtos novos e aprimorados.

Impulsionar a conscientização da marca e a aquisição de clientes

À medida que se coleta informações digitais com base nas respostas do cliente nas plataformas on-line, também se pode determinar como ampliar o alcance da marca e aumentar a conscientização em outras plataformas de mercado. Uma maneira de fazer isso é aumentar a presença do poder imagético nos sites, dos quais o público-alvo frequenta.

Uma aplicação disso é projetar uma campanha on-line por meio de sites de redes sociais populares em toda a base de clientes. Dessa forma, será mais fácil para eles se envolverem com a cultura organizacional e compartilharem suas informações de livre e espontânea vontade sobre os gostos pessoais frente aos produtos em sua rede. Além desse fator, enquanto se promove a conscientização da imagem empresarial, existe a oportunidade de angariar clientes, engajando-se com públicos conectados à essa base.

Big data como base para ajustar pontos de preço

Os preços dos produtos podem influenciar significativamente o comportamento de compra de um cliente. Como tal, é crucial estar ciente dos movimentos de preços no segmento de mercado específico e entender como a indústria se posiciona contra a concorrência. Embora oferecer produtos com preços mais baixos possa parecer a melhor maneira de vencer os concorrentes, pode sair pela culatra se os ajustes de preços não forem justificados. Os clientes podem questionar a qualidade ou a credibilidade da marca se os preços forem muito baixos em comparação com outras marcas.

Com esses fatores em mente, os gestores terão de realizar comparações de pontos de preço usando dados de consumidores que mostram como as seleções ou escolha de produtos são influenciadas. Desse modo, ela pode ver padrões de compra específicos que podem alimentar com dados para apontar as principais considerações do público na escolha de uma marca ou um item. Sendo assim, havendo a chance de promover um ajuste de preços razoáveis que não prejudique a credibilidade e relevância da empresa e, obviamente, a receita.

Enquanto isso, você também pode explorar outras opções para tornar seus preços mais competitivos. Por exemplo, você pode considerar adicionar descontos e brindes, o que pode ajudar seus produtos a destacarem-se de outras marcas.

Sem mais delongas

O uso de big data para ganhar uma vantagem de marketing e aumentar as receitas tornou-se uma tendência entre as empresas de todos os setores. As marcas podem aumentar a conscientização, engajamento, geração de leads e vendas, conhecendo mais sobre o cliente. Dada a sua importância, seu sucesso de marketing e vendas está em aprender como se pode maximizar o uso de informações do cliente de uma forma que seja vantajosa para as empresas, sem comprometer com seus dados e privacidade.

Adriano da Silva Santos é jornalista e escritor, formado na Universidade Nove de Julho. Também é comentarista do podcast “Abaixa a Bola” e escreveu o livro “Por que sou infeliz?”.

Mais lidas
Últimas notícias