Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

Como as empresas devem iniciar a criação de um podcast?

Márcio Brant, CEO da Wepod, mostra como as marcas podem explorar a ferramenta como canal de comunicação e fidelização do público

atualizado 24/03/2022 12:11

Cottonbro/Pexels

É um fato notório e público que a produção de conteúdos na internet vive um momento de franco crescimento e expansão. Até por isso, a maioria das empresas enxergam oportunidades de se comunicarem pela web para se aproximar ainda mais de seu público-alvo. No entanto, tão importante quanto escolher a temática desse produto, está a seleção do formato mais indicado. No atual momento, os podcasts surgem como “queridinhos” por ser uma mídia em voga e reconhecidamente capaz de trazer essa aproximação entre marcas e clientes.

Apesar do atual boom, é preciso ressaltar que o mercado nacional de podcasts não é tão novo, visto que o primeiro conteúdo nesse formato surgiu aqui ainda em 2004. Porém, nos últimos anos, sobretudo desde o início da pandemia, o formato vem ganhando popularidade e está em plena expansão pelos quatro cantos do país.

Segundo levantamento realizado pela Global Web Index (GWI), o Brasil se tornou o país que mais escuta podcasts em todo o mundo, tanto em frequência quanto em volume. Ainda de acordo com a GWI, 37% dos usuários globais de internet que ouvem podcast são brasileiros.

Até por isso, hoje a corrida das marcas pela criação de podcasts nunca esteve tão em evidência. Além de aumentar o engajamento e se fazer mais presentes na rotina de seu público-alvo, eles são importantes ferramentas de comunicação e marketing pelo fato da empresa conseguir controlar a narrativa.

Ou seja, trata-se de mais um canal de fidelização capaz de fortalecer os serviços, cultura, valores e objetivos da corporação. Isso sem contar que os podcasts também podem ser um aliado importante na hora de buscar novos clientes, já que é muito mais fácil viralizar uma ação na web do que nas mídias tradicionais.

Receita para o sucesso

As corporações que ainda não iniciaram um projeto, mas pensam em colocá-lo em prática ainda neste ano devem considerar a realização de um planejamento minucioso como o primeiro passo fundamental. Nesse momento de estruturação do programa, pilares importantes serão construídos e servirão como base para que a concepção atinja a maturidade necessária. Formato, linguagem, frequência e média de duração são alguns dos pontos que devem fazer parte desse planejamento prévio. Linha editorial e originalidade também são pilares indispensáveis e que podem determinar o sucesso do projeto.

Em relação a estruturação, é preciso estabelecer de antemão se o podcast contará com apresentadores fixos ou alternados, além de definir se será baseado em comentários sobre temas atuais ou entrevistas com convidados, entre outras possibilidades. Tudo isso contribui para integrar o público com o seu produto desde o início e ajuda a fidelizar a audiência.

A criação e estruturação de roteiros, principalmente nos primeiros episódios, é o que determinará o ritmo da conversa e ajudará a conduzir o programa. Mesmo que o formato de podcast abra espaço para uma linguagem mais informal e divertida, o conteúdo proposto deve comunicar-se com clareza e objetividade, respeitando limites e audiência.

Outro tópico inicial que demanda uma grande atenção é a definição do nome do programa. A escolha por uma nomenclatura original e que tente refletir a mensagem do podcast pode ser um aliado fundamental para chamar a atenção e angariar público, principalmente no início do projeto. Complementando esse processo da criação de identidade, vinhetas e trilhas sonoras também são pontos importantes no momento de definição, além de serem atributos que ajudam na hora de relacionar o produto com a audiência.

1,2,3, gravando!

Fechando essa parte de formatação do podcast, será necessário partir para a estruturação desse projeto. Nessa hora será importante definir se o produto será distribuído apenas em áudio ou se também será apresentado em vídeo – algo que tem ganhado cada vez mais espaço no meio. Vale dizer que caso seja escolhida a segunda opção, o ambiente para o programa e as câmeras utilizadas serão fatores importantes, necessitando de um investimento adicional por parte da corporação. Por outro lado, a atenção pelos equipamentos de áudio independem dessa escolha. Microfones e headsets com qualidade na captação de áudio são cruciais para que o podcast se destaque no mercado.

Mesmo com o programa gravado, as atenções com o produto não podem parar. Edição e distribuição do podcast são dois passos importantes para que o podcast chegue ao maior número de ouvintes possível. Divulgação pelas redes sociais da empresa ou até mesmo pelo site corporativo são ajudas importantes na hora de espalhar esse conteúdo. Além disso, é importante acompanhar como o seu produto será recebido pelo público, assim como possíveis comentários e avaliações que surjam sobre o programa. Tais feedbacks são fundamentais para alinhar definitivamente a atração, principalmente após os primeiros episódios.

De fato, a estruturação e produção de um podcast exige uma grande dedicação. No entanto, esse planejamento minucioso é fundamental para as marcas se aproximarem do público de uma maneira assertiva e, consequentemente, fortalecer a sua reputação no meio digital.

Márcio Brant é CEO e fundador da Wepod, startup produtora de podcasts. Formado pela Escola de Música, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é produtor musical e sound designer com mais de 20 anos de experiência, além de membro do Latin Grammy Academy.

Mais lidas
Últimas notícias