Marcas, ideias e pessoas que impactam no mundo da comunicação

A importância do Social Media no cenário digital em 2022

É fato que o posicionamento de uma empresa está associado ao conteúdo digital que é capaz de produzir, afirma Rejane Toigo

atualizado 23/12/2021 12:20

Jeremy Bezanger/Unsplash

É fato que o posicionamento de uma empresa na mente dos seus compradores está associado ao conteúdo digital que são capazes de produzir.

Empresas e negócios precisam se conectar com as pessoas para vender e essa conexão é promovida através do conteúdo, em redes sociais ou outros canais digitais como Blogs, Sites, YouTube, Podcasts e Aplicativos.

A necessidade de conteúdo digital é tendência há quase uma década e se confirma a cada ano, por isso só cresce a demanda por conteudistas qualificados, capazes de conduzir a produção de conteúdo de forma a trazer os resultados esperados pelo negócio.

Entretanto, cresce ainda mais a demanda por profissionais que atuem na esfera estratégica, ou seja, qualificados para criar uma ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO MULTICANAL e com habilidades de liderança para gerenciar uma equipe de produtores de conteúdo que atuem como designers, redatores, editores de vídeo e outras funções operacionais.

O que eu quero dizer é que a grande tendência para a profissão é entender que produzir conteúdo transcende a atividade de “fazer posts” ou “produzir textos”.

Como em todo tipo de atividade, na profissão de social media também temos os níveis de atuação: operacional, tático e estratégico.

Produzir posts é uma atuação operacional, muito importante, mas que necessita cumprir as diretrizes de uma estratégia de conteúdo para surtir os efeitos de posicionamento e vendas que um negócio almeja.

Então, as funções de designer, editor de vídeos e textos isoladamente são funções operacionais da produção de conteúdo, que muitas vezes são atribuídas ao Social Media.

Já as atividades táticas se referem ao conhecimento das funções ferramentais de cada plataforma digital. Como por exemplo, aplicar um conteúdo ao Reels ou Stories do Instagram, ou ainda, identificar de que forma um determinado assunto está sendo procurado no Google para produzir um Post Blog que seja entregue aos buscadores.

A função tática é também fundamental ao aproveitamento do conteúdo e geralmente é preenchida por profissionais de áreas técnicas específicas, como técnicos em SEO ou analista de dados.

Já o conteudista que atua em nível estratégico se ocupa de entender as necessidades do negócio e propor metas para alcançar seus objetivos através do conteúdo digital.

Também faz a identificação dos padrões de comportamento dos clientes em potencial e desenha a jornada de compra dos produtos, justamente para criar estratégias de contato do público certo com o conteúdo certo.

Cabe ao Social Media Estrategista investigar o DNA do negócio para desenvolver as linguagens mais adequadas, sejam elas escritas, faladas e visuais, bem como eleger as linhas editoriais mais favoráveis à obtenção dos resultados desejados.

No cenário em que estamos, a grande maioria dos profissionais de Social Media migraram de outras áreas como o design ou jornalismo e por essa afinidade com a operação, ainda acreditam que a profissão está restrita a esse operacional.

A grande tendência, que inclusive é o que faz o Social Media ganhar bem, é se tornar um Estrategista, pois como em qualquer atividade, as funções estratégicas alcançam mais relevância e remuneração.

Tenho uma agência de Marketing e sei da dificuldade em contratar Social Media que atuem a nível tático e estratégico. É um problema generalizado que atinge todas as empresas que atuam no digital.

O mercado está lotado de pessoas operacionais e reclamando do baixo reconhecimento e que as empresas querem pagar pouco por seus serviços.

Um combo de posts não resolverá o problema de vendas e posicionamento de uma empresa. O que faz isso é uma Estratégia de Conteúdo. E o que acontece hoje no mercado é que existem muitos profissionais de Social Media achando que pacote de posts é estratégia de conteúdo.

E uma estratégia de conteúdo deve conter, no mínimo, os seguintes elementos para guiar a produção de conteúdo inteligente:

✔️objetivos do negócio com o conteúdo

✔️ estudo da concorrência/referências

✔️ identificação do DNA de conteúdo

✔️ descrição minuciosa dos perfis psicológicos e comportamentais das personas com propensão a comprar

✔️ desenho da jornada de compra

✔️ identificação dos canais digitais necessários e volume de conteúdo

✔️ desenvolvimento do funil de conteúdo

✔️ criação de linhas editoriais

✔️ aplicação do DNA às imagens e linguagens

✔️ calendário de conteúdo para 6 meses

✔️ estabelecimento dos métodos de análise

As empresas não querem posts bonitos, likes, seguidores ou comentários. Elas querem resultados. Posts bonitos, likes, comentários ou seguidores são um meio e não um fim.

O objetivo de qualquer negócio é vender. E o conteúdo só contribui com a venda se for estrategiado para isso.

Outra grande tendência do mercado para quem trabalha como Social Media é se especializar em táticas de vídeo shorts. Trata-se dos vídeos curtos que contam histórias rápidas, fazem rir instantaneamente e usam ritmo e músicas como mídias virais.

Eles vieram com o TikTok e que foram absorvidos pelo Instagram e pelo YouTube e parecem estar retendo a atenção e até levando a audiência ao vício nesse formato rápido e divertido.

Mas atenção! Seguindo a linha desse artigo: um profissional que saiba criar ESTRATÉGIAS de vídeo shorts, que entenda e saiba como aplicar linguagem, métricas, canais, roteiros e público certo.

 

Rejane Toigo, Social Media e fundadora da Like Marketing

 

 

 

 

Mais lidas
Últimas notícias