metropoles.com

10 pilares da comunicação madura: escuta e expressão

Camilla Covello, CEO da agência de comunicação C2L, explica como atingir uma comunicação madura em 10 etapas

atualizado

Compartilhar notícia

Fauxels/Pexels
comunicação – Metrópoles (1)
1 de 1 comunicação – Metrópoles (1) - Foto: Fauxels/Pexels

A comunicação é uma habilidade essencial que evolui constantemente. Enquanto o conceito de “comunicação não violenta” tem sido discutido há muito tempo, a “comunicação madura” emerge como uma abordagem mais abrangente e eficaz.

Embora a comunicação não violenta seja condição sine qua non (sem a/o qual não pode ser), muitas vezes negligencia a importância fundamental da escuta ativa. Esquecemos que a comunicação, de modo simples, é feita por uma pessoa que fala e outra que escuta, e dominar a arte da escuta é igualmente crucial.

Por conta disso, trouxe os 10 pilares fundamentais para obter uma comunicação madura: cinco voltados para a fala e cinco voltados para a escuta. Confira!

Fala

Solução ou ego?

Precisamos nos atentar para diferenciar “agir por convicção” ou “buscar uma solução para o problema”. Sempre que é preciso admitir um erro ou seguir por outro caminho, aceitar esse resultado pode mexer com nosso ego. Por isso, é importante se atentar na maneira que for repassar essa mensagem. Porque, muitas vezes, pode parecer carregado de um “ar de superioridade”.

O tom é determinado pelo estado emocional

Ao iniciar uma conversa, considere o ambiente emocional, porque isso pode influenciar significativamente o curso do diálogo. Se o comunicador ou o receptor estiverem agitados, a comunicação pode se tornar conflituosa e a mensagem provavelmente será distorcida. Portanto, é essencial manter a calma e ter clareza sobre o que deseja comunicar.

Dica: Dê uma respirada e reencontre o sentido do que e para que você está passando aquela mensagem.

Trocar ideia ou convencer?

Durante uma conversa em que está acontecendo algum debate, é preciso tomar cuidado em não se prender nas próprias convicções. Em vez disso, devemos fomentar um ambiente em que as pessoas possam compartilhar e explorar diferentes perspectivas.

Respeito à liberdade do outro

É importante estabelecer os limites e entender a vontade das pessoas envolvidas na comunicação. Às vezes o que você considera bom, pode prejudicar os outros. Por conta disso, é importante respeitar a vontade e a liberdade dos outros durante uma conversa.

Cuidado com a passividade agressiva

Devemos ser conscientes do tom e das palavras que escolhemos durante uma conversa, conforme mencionado no tópico 2. Escolher as palavras com cuidado e evitar ambiguidades é fundamental para evitar mal-entendidos que possam fazer com que pareçamos agressivos. Não adianta ser agressivo em voz baixa!

Escuta

Nem tudo é sobre você

Entrando nos tópicos sobre a escuta é preciso compreender que nem sempre tudo será como você quer e da maneira que é bom para você. É fundamental ouvir e entender o outro lado, porque pode ser que os outros envolvidos tenham questões diferentes das suas. Se isso acontecer, pare um minuto para pensar que isso pode ser sobre a pessoa que está falando e não sobre você. E se ela estiver em um dia ruim? (Lembre-se do tópico 2 da “Fala”).

Ser direto não é ser grosseiro

É importante entender a diferença entre ser direto e ser rude. Expressar nossas opiniões de forma direta e clara não implica necessariamente ser grosseiro. A sinceridade e a objetividade podem acelerar a resolução de problemas.

Disposição para a verdade

Em discussões e debates, devemos estar dispostos a ouvir e aceitar a verdade, em vez de optar por ouvir apenas versões suavizadas da realidade. A honestidade é essencial para um diálogo significativo.

Responder, argumentar ou compreender

Se alguém fala algo que você não concorda, você pode responder, argumentar ou compreender a mensagem. Porém, caso não acredite que aquela é a maneira certa de resolver, é importante identificar a melhor forma de responder. Caso contrário, o debate pode não evoluir, o que nos leva ao último tópico da “Escuta”.

Confronte o argumento e não a pessoa

Se você não concorda com algo que foi falado durante um diálogo, é preciso saber como discordar daquilo, trazendo críticas ao comentário e não à pessoa que falou. Isso é fundamental para não criar rusgas entre as pessoas envolvidas no debate.

Em resumo, uma comunicação madura envolve a honestidade, mesmo ao compartilhar nossas vulnerabilidades, tornando-nos mais autênticos e humanos.

Reconhecendo que todos temos falhas, podemos evoluir não apenas na maneira como nos comunicamos, mas também como nos relacionamos com os outros.

Domine esses 10 pilares e fortaleça suas habilidades de comunicação para prosperar em todos os aspectos da vida, seja no corporativo ou no âmbito pessoal!

Camilla Covello é CEO da agência de comunicação C2L | Communication to Lead.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações