Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

“Sommelier de vacina”: baixa procura é por escolha de marca, diz GDF

Até a manhã desta quinta, cerca de 200 mil unidades, entre primeira e segunda doses, estavam armazenadas na Rede de Frio da pasta

atualizado 10/06/2021 16:15

VacinaGustavo Moreno / Especial para o Metrópoles

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, afirmou nesta quinta-feira (10/6) que a baixa procura nos postos de imunização contra a Covid-19 se deve à tendência da população de procurar um local que esteja imunizando com um tipo específico de vacina no Distrito Federal. Até a manhã desta quinta, cerca de 200 mil unidades, entre primeira e segunda doses, estavam armazenadas na Rede de Frio da pasta.

Okumoto reforçou que o número expressivo se deve a uma programação feita pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para ser cumprido nos próximos dias e que todas as doses serão redirecionadas, caso os grupos contemplados não sejam imunizados.

“O que está acontecendo ainda são escolhas pela marca da vacina. Estamos tentando minimizar esse número de pessoas que fazem o agendamento, fazem o cadastro e não vão vacinar. Quando as pessoas vão até a localidade, elas desistem de se vacinar quando descobrem o tipo de imunizante disponível. O que a gente vai fazer é baixar as idades e, se a gente observar que está tendo dificuldade de vacinar e o motivo for o agendamento, se for o caso vamos reavaliar o agendamento. Até agora, contudo, o que demonstra é que as pessoas estão escolhendo a marca da vacina”, disse.

Também presente na coletiva de imprensa, o secretário chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, também afirmou que a diferença de grupos etários na atual fase da vacinação entre as unidades da Federação se deve à aplicação da dose destinada à segunda aplicação, mas usada em outras cidades como se fosse a primeira. “Mantivemos a D1 para D1 e D2 para D2. Isso não ocorreu em outros estados”, frisou.

Ele pontuou que quem tomou a dose em outro estado terá de tomar a segunda aplicação naquele mesmo local. “É bom lembrar que isso é muito importante, porque só tomará a segunda dose se tiver tomado a primeira aqui no Distrito Federal”, disse.

Educação

Rocha também afirmou que cerca de 36,2 mil doses da vacina Janssen, da Johnson & Johnson, serão destinadas para a vacinação de profissionais de educação pública do Distrito Federal. A decisão foi tomada porque o lote chegará com prazo de validade até o dia 27 de junho e, por isso, a imunização será em massa, com apenas uma dose, conforme orienta o laboratório.

Segundo o secretário, a remessa da nova fórmula deve chegar entre domingo (12/5) e terça-feira (14/5) e serão aplicadas exclusivamente para gestores, professores e servidores administrativos da rede pública do Distrito Federal. A ideia é dar seguimento à expectativa do governador Ibaneis Rocha (MDB) para a retomada das aulas no mês de agosto. Outras 1,8 mil doses da Coronavac serão utilizadas, para finalizar vacinação de profissionais de creche, completando, assim, 38 mil doses para a Educação pública do DF.

“Em alguns momentos, até 22% não compareceram para vacinação. A Educação e a Saúde montará uma operação de guerra para vacinar essas pessoas. Como foi repercutido pela imprensa, a Janssen tem prazo de validade até o dia 27. Será feita uma lista pela Secretaria de Educação por escola. No momento que for confirmada a chegada da vacina, esses profissionais precisam buscar imediatamente o seu posto. A vacina é uma dose só”, frisou.

Rocha também afirmou que outras categorias, além da faixa etária dos 55 anos, também receberão as remessas para continuar com a vacinação dos grupos prioritários. Segundo ele, cinco mil doses serão para rodoviários, mais 15 mil para pessoas com comorbidades e 10 mil para pessoas com deficiência e sem BPC.

55 anos

O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou, na manhã desta quinta-feira (10/6), que o agendamento para vacinação contra a Covid-19, no que se refere a pessoas com 55 anos ou mais, sem comorbidades, começará ao meio-dia na sexta-feira (11/6). São 43 mil pessoas, dos cerca de 60 mil, da faixa etário. A diferença é daqueles que já se vacinaram por estarem contemplados em outras categorias

Segundo Ibaneis informou à coluna Grande Angular, com as doses da Janssen, será possível imunizar todos os profissionais da educação pública da capital federal. “Assim, pretendemos retornar às aulas”, disse.

Como mostrou o Metrópoles em matéria publicada nesta quinta-feira (10/6), professores recusam-se a voltar às aulas presenciais sem a imunização. A retomada das atividades nas escolas está prevista para agosto.

Nas contas do governo local, todos os servidores da segurança já foram imunizados, encerrando a destinação de vacinas para esse público.

Últimas notícias