Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

General cita “rachadinha” e diz que direita manipula preço no mercado

Paulo Chagas foi candidato de Jair Bolsonaro nas eleições de 2018, mas rompeu com o capitão do Exército e deve concorrer a deputado federal

atualizado 18/04/2022 18:29

Fotografia colorida de homem de bigodeHugo Barreto/Metrópoles

O general da reserva Paulo Chagas detonou, nesta segunda-feira (18/4), o governo comandado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), de quem foi aliado nas últimas eleições.

O militar ironizou o fato de que o atual ocupante do Palácio do Planalto seria “um enviado de Deus” e afirmou que a atuação do mandatário resultou em vários problemas para o Brasil, citando as “rachadinhas” e a política de preço da Petrobras.

“A direita, acreditando que era liderada por um enviado de Deus, sem qualquer contestação, aceitou a distorção dos valores conservadores e do liberalismo econômico e a Lava Jato virou crime, a ‘rachadinha’ uma necessidade e a manipulação de preços, uma inteligente estratégia de mercado”, escreveu no Twitter.

Veja a publicação:

Eleições

Paulo Chagas foi o candidato de Jair Bolsonaro ao governo do Distrito Federal em 2018. Rompido com o bolsonarismo, Chagas deve concorrer a deputado federal nas eleições de outubro.

Na última eleição, Chagas ficou em quarto lugar para o governo do DF e recebeu 111 mil votos.

 

Mais lidas
Últimas notícias