Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

“É inoportuna”, diz Gustavo Rocha sobre greve dos rodoviários no DF

Categoria fez paralisação, a princípio de 24h, como "lockdown" para chamar atenção do GDF para imunizar motoristas e cobradores de ônibus

atualizado 03/05/2021 16:30

O secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, classificou como “inoportuna” a greve deflagrada pelos rodoviários do Distrito Federal para que sejam incluídos no plano local de imunização contra a Covid-19. A declaração ocorreu durante coletiva de imprensa realizada no Palácio do Buriti.

“Lamento que, durante numa crise sanitária jamais vista, haja politização”, emendou. Ainda de acordo com o titular da pasta, nunca houve sinalização do GDF de que a categoria não seria vacinada, mas que as remessas dependem do Ministério da Saúde.

Sindicato dos Rodoviários do DF (Sinttrater) informou, na noite deste domingo (2/5), que a greve da categoria, com paralisação de 100% da frota de ônibus, foi mantida. A princípio, serão 24 horas de interrupção da circulação de ônibus em todo o Distrito Federal: começando à 0h desta segunda-feira (3/5).

“A greve vai acontecer conforme já anunciado. É o lockdown dos rodoviários para cobrar a vacinação dos trabalhadores. Nesta segunda, não saia de casa. O trabalho volta normalmente na terça. Vamos estar firmes, apesar das ameaças que possam vir. Nossa luta é justa”, informou o Sinttrater por meio de nota.

No sábado (1º/5), o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-10) determinou que a greve dos rodoviários ocorra de maneira moderada: 60% dos ônibus devem rodar nos horários de pico e 40%, no resto do dia. A pena para o descumprimento é de R$ 50 mil.

Últimas notícias