Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Com 92 mil novas doses, DF quer estender vacinação a pessoas de 37 anos e sem agendamento

A informação foi dada pelo secretário chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, durante coletiva de imprensa no Palácio do Buriti

atualizado 19/07/2021 18:08

vacina adolescenteGettyImages

O Governo do Distrito Federal (GDF) adiantou, nesta segunda-feira (19/7), que pretende reduzir para 37 anos a idade mínima para vacinação contra a Covid-19. A informação foi dada pelo secretário chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, durante coletiva de imprensa no Palácio do Buriti, após anunciar uma remessa de pouco mais de 92 mil doses de imunizantes feita pelo Ministério da Saúde.

“Nós vamos receber essas doses, vamos poder, com isso, avançar na vacinação, que é o que todos nós esperamos e todos nós queremos. Inclusive, com base nisso, estamos recebendo, até a próxima quinta-feira, 92.032 doses de vacina. Com isso, será possível baixar para 37 anos”, disse.

Gustavo Rocha disse, ainda, que por causa dessa nova remessa, o governo decidiu vacinar sem a necessidade de agendamento. A decisão ocorre após várias reclamações sobre a instabilidade do sistema responsável pelo cadastramento de vagas.

“Vocês têm trazido essa questão de que o sistema de agendamento está caindo e que as pessoas estão com dificuldades para agendar, o governador autorizou que, a partir dessa remessa de vacinas, [a vacinação] seja sem agendamento. Então, preste atenção, a Secretária de Saúde vai divulgar os dias em que a vacinação será feita sem agendamento”, disse.

Segundo Gustavo Rocha, o Palácio do Buriti também espera receber mais 48 mil doses, junto da nova remessa, para serem usadas na segunda aplicação. O secretário voltou a rebater que vacinas estariam estocadas, e sem uso, na Rede de Frio da Secretaria de Saúde.

“Se a nossa decisão fosse usar a segunda dose como primeira, estaríamos com problemas como outras cidades. Decidimos garantir a segunda aplicação para quem já tomou a primeira”, disse.

Na Justiça

O Ministério Público Federal (MPF) se manifestou a favor da suspensão do agendamento para a vacinação contra a Covid no DF.

O órgão enviou, nesta segunda-feira (19/7), um parecer à Justiça Federal, no âmbito de uma ação da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do DF (OAB-DF). A entidade quer uma liminar para impedir a exigência de cadastro prévio para aplicação da vacina na capital federal.

No processo, o MPF anexou duas denúncias que recebeu de cidadãos a respeito da dificuldade para receber o imunizante mediante agendamento.

Colaborou Isadora Teixeira

Mais lidas
Últimas notícias