Os bastidores das notícias, e os principais personagens, que movimentam a política do Distrito Federal

Acusada de nazismo, Bia Kicis dispara: “Sou defensora da democracia, diálogo”

Declaração foi resposta à repercussão do encontro com a deputada alemã Beatrix von Storch, deputada do partido Alternativa para a Alemanha

atualizado 23/07/2021 22:28

Reprodução

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) rebateu, nesta sexta-feira (23/7), a acusação de que estaria celebrando as semelhanças com Beatrix von Storch, deputada do partido Alternativa para a Alemanha (AfD). A sigla é investigada por propagar ideias extremistas e neonazistas.

Em carta direcionada a Claudio Lottenberg, presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), a aliada de Jair Bolsonaro (sem partido) esclareceu ser “defensora da democracia, diálogo, liberdades” para exercer o cargo confiado a ela pelos eleitores.

Neta de general, Bia Kicis lembrou que o avô era judeu e, segundo ela, teria lutado contra o fascismo e o nazismo na 2ª Guerra Mundial.

“Como deputada conservadora, recebi por indicação de amigos, inclusive da comunidade judaica, a deputada alemã Beatrix Von Storch, que, como eu, é uma defensora dos valores judaico-cristãos e da família, e luta pela soberania de sua pátria”.

A parlamentar lamentou a repercussão negativa do encontro na imprensa e chamou de “verdadeiro absurdo” a acusação contra a parlamentar alemã de alinhamento com o regime de Adolf Hitler.

“É bom esclarecer que o Partido AfD, diferentemente do que aleivosamente alguns espalharam, não é um partido nazista, eis que é um partido legitimado e reconhecido na Alemanha, contando com 90 parlamentares”, pontuou.

A parlamentar reconheceu que “obviamente, como todo grupo político, pode ter integrantes mais extremados. É preciso salientar aos mal informados que alguns desses foram expulsos do partido por movimento liderado por Beatrix, que faz parte da sua ala mais moderada”.

Kicis reafirmou ser vice-presidente do grupo amizade Brasil-Israel no Congresso Nacional e que foi agraciada como Embaixadora Extraordinária da Paz na Terra Santa, onde esteve por duas vezes. “Uma delas acompanhando missão oficial ao lado do presidente Bolsonaro, grande amigo de Israel e da comunidade judaica”.

“Conquanto seja notório em minhas ações e trajetória, combato o preconceito, a intolerância, o racismo e luto pelo respeito ao próximo. Sou apoiadora de Israel e de seu povo, sou sionista e abomino tanto o nazismo quanto qualquer ideologia que segregue, persiga e mate”.

Carta de Eslareimento by Metropoles on Scribd


Em foto publicada ao lado da parlamentar alemã, a deputada do PSL celebrou a união e a semelhança de pautas defendidas.

Últimas notícias