Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

Tie-dye 2020: veja como fazer a estampa do momento de maneira sustentável

A padronagem é a aposta da temporada e pode ser reproduzida em casa de forma econômica e ecológica

atualizado 23/06/2020 11:38

Tie-dyeDeborah Turbeville/Conde Nast via Getty Images

Uma tendência que estava retornando com timidez ganhou maior destaque durante a pandemia: o tie-dye. Os padrões coloridos com formas únicas estão garantindo espaço no universo fashion . Apesar do mood hippie, a técnica de estamparia é milenar e pode ser reproduzida em casa sem muito mistério. Além de ressignificar peças de roupas que estão paradas no closet, a atividade entra na lista de afazeres relaxantes no período de isolamento.  

Vem comigo saber o passo a passo! 

@fashgif/Giphy/Reprodução

Em versões mais sofisticadas, o tie-dye teve seu retorno triunfal ao ser adotado por celebridades. O visual psicodélico foi a peça-chave nos looks de Rihanna, Taylor Swift, Justin Bieber e grande protagonista nas produções da modelo Gigi Hadid. A estampa também imperou nas passarelas com maestria nos desfiles da Prada e Stella McCartney, durante as semanas de moda de 2019

Rihanna usando vestido tie-dye
O vestido tie-dye da marca ASAI usado por Rihanna

 

Kevin Mazur/Getty Images for iHeartMedia
Taylor Swift elencou modelito com a estampa para o evento iHeartMedia

 

Hollywood To You/Star Max/GC Images
Cantor Justin Bieber optou por moletom com a estampa multicolorida

 

Gigi Hadid com t-shirt tie-dye
A modelo apareceu com uma t-shirt na padronagem colorida
O que precisa

Após as reaparições nas produções de celebs, peças de roupas e acessórios com a estampa lotaram as prateleiras das lojas mundo afora. Em tempo de coronavírus, e enquanto a moda desacelera o ritmo de produção, uma boa alternativa é reproduzir a técnica em casa, de forma ecológica. 

O objetivo é dar um novo ar aos itens que estão encostados no armário, principalmente nos que seriam descartados por estarem manchados. Ainda no mood sustentável, economizar água e evitar produtos químicos que poluam o meio ambiente é um passo ideal. Para fazer o modismo do momento, você vai precisar de:

– Camisetas ou peças de algodão;

– Tintas de tecido ecológicas ou à base de água; 

– Barbante ou elásticos;

– Água; 

– Jornais;

– Par de luvas que possam ser reaproveitadas.

Desfile Tie-Dye
Ralph &Russo desfile no Paris Fashion Week, em 2019

 

Desfile Dior
Passarela Christian Dior no Paris Fashion Week, em 2019

 

Desfile Tie-Dye
Ashley Graham desfile tie-dye no New York Fashion Week do ano passado

 

Divulgação/Balmain
Balmain lançou t-shirts

 

Divulgação/Stella McCartney
Stella McCartney também apostou na tendência
Como fazer

O primeiro passo para confeccionar a própria peça tie-dye é separar uma t-shirt branca ou em tom claro. Moletons, calças de malha e até meias também podem ser elencadas para serem personalizadas. O recomendado é criar uma nova finalidade aos itens que estão guardados. 

Depois de selecionar a peça de roupa, será necessário separar elásticos de borracha ou barbante, que também pode auxiliar na amarração do tecido. Separar os papéis para forrar o local e a utilização de luvas durante o procedimento é ideal para proteger as mãos dos pigmentos.

Para começar a preparação do tecido, dobras deverão ser feitas. A técnica permite diversas formas de desenho, dependendo da amarração que for criada. Franzir a roupa na vertical ou horizontal irá resultar em um tie-dye listrado. Pegar uma das mangas e ir girando a peça no sentido horário, proporcionará aquele clássico formato sem muitas direções. Quando estiver satisfeito quanto ao design, basta usar os elásticos ou barbante para prender a peça no formato desejado. 

@brunocavaalcanti/Instagram/Reprodução
Primeiro passo é enrolar ou franzir a peça. Em seguida amarrá-la com auxílio dos elásticos ou barbante
Cores

Tintas para tecido à base de água ou biodegradáveis são recomendadas para o processo. Elas auxiliam a preservação da natureza, evitando a contaminação de rios e oceanos com produtos químicos. 

A parte da coloração é livre, basta soltar a imaginação e separar as cores ideais. Quem quiser fugir do multicolorido pode optar por apenas um tom na peça. Combinações de duas a três cores também são uma boa opção e, aos mais ousados, é possivel misturar até cinco ou mais tons. É recomendado seguir um padrão nas tonalidades. Por exemplo, só neons vibrantes. 

Tie-dye 1225624334
É recomendado forrar o local com jornal antes de começar a coloração

 

Tie-dye 1225796025
Tintas de tecido ecológicas ou pigmentos naturais são ideais

 

Tie-dye -1225795926
É aconselhado o uso de luvas para proteger as mãos durante o processo

Após separar as cores, é a hora de pegar os recipientes, colocar a tinta e ir adicionando água até chegar no tom de cor ideal. Para os que desejam os pastéis e mais claros, basta diluir com mais água.  

Em seguida, é só colocar a roupa amarrada sobre um jornal e ir despejando as cores aos poucos. Quem optar por utilizar mais de uma tonalidade vai perceber que o tingimento mistura as tintas, criando padrões exclusivos.  

Para finalizar, retire as amarrações e estenda a peça no varal. Após secar, de preferência sob o sol, o novo modelito está pronto para o uso. Os resíduos de tinta também podem ser despejados sob o jornal ou na areia. Após evaporar a água, é recomendado o descarte de ambos em lixo seco.

@camilacoutinho/Instagram/Reprodução
Utilizar tintas para tecido biodegradáveis, realizar a coloração sobre um jornal antigo, despejar o resto da água com tinta no papel, esperar secar e descartar em lixo seco são etapas importantes no processo
História 

Símbolo de liberdade e revoluções sociais, a técnica de estamparia manual é uma das mais antigas do mundo. As primeiras variações do tie-dye surgiram na Índia, por volta de 4.000 a.C. Também existem registros do seu uso desde o século 6 no Oriente Médio.  Ao decorrer da história, o processo de amarrar tecidos e tingir foi aprimorado e adaptado aos padrões culturais e artísticos de cada região.   

A arte do tingimento foi descoberta pelos africanos, ao extrair pigmentos da natureza, como plantas, sementes e frutos, para a coloração dos tecidos. A partir do período das grandes navegações, demais países foram apresentados ao tingimento de tecidos graças aos intercâmbios culturais.

Técnica de tingimento Indiana
Técnica indiana de estamparia com amarrações e tingimento

O conhecimento adquirido durante décadas e a rica história dos tingimentos acompanharam o desenvolvimento cultural em diversos cenários da sociedade. Nas décadas de 1960 e 1970, o tie-dye se misturou ao movimento hippie dos Estados Unidos.

Carregando ideologias de paz, amor e a liberdade, a era foi propagada por grandes músicos, como Janis Joplin e Jimmy Hendricks. Na época, os Beatles eternizaram o lema All you need is love (tudo que você precisa é amor, em tradução livre).

Tie-Dye
Tie-dye nos anos 1970

 

Janis Joplin 1970
Janis Joplin foi um dos grandes nomes da época

 

The Beatles
The Beatles, outra banda que marcou a década

Nos anos 1990, a padronagem colorida nas cores psicodélicas surge com as festas rave e foi adotada pelos clubbers. O movimento é caracterizado pela moda colorida, marcada pela presença do tie-dye, cores neons e o furta-cor.

Atualmente, o padrão manchado com referência nostálgica ressurge e está confirmado para mais uma temporada. Confira, na galeria, sugestões de looks com a tendência queridinha do momento:

0

Colaborou Sabrina Pessoa

Últimas notícias