Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

Loja da Hermès reabre na China e vende milhões no primeiro dia

Reportagem do portal WWD mostra que houve forte recuperação do consumo de luxo pós-auge do coronavírus

atualizado 15/04/2020 19:35

loja Hermès na ChinaGeovien So/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Depois de meses de caos e confinamento, a China conseguiu conter o avanço interno do novo coronavírus e começa a voltar à normalidade. O comércio e até pontos turísticos estão retomando a rotina. No último sábado (11/04), uma boutique da Hermès foi reaberta no Taikoo Hui, na cidade de Guangzhou. Segundo informações do WWD, a marca vendeu milhões em produtos no primeiro dia de funcionamento depois do ápice da pandemia.

A grife faturou o equivalente a US$ 2,7 milhões (mais de R$ 14 milhões). De acordo com o portal, peças raras foram mandadas para o local, incluindo uma Birkin – uma das bolsas mais exclusivas do mercado – produzida com diamantes, sob encomenda.

vitrines Hermès e Chanel, na China
Devido ao novo coronavírus, que atingiu a China no fim de dezembro do ano passado, a Hermès havia fechado mais de 40 lojas no país

 

Birkin preta - bolsa da Hermès
No último sábado (11/04), uma boutique da etiqueta francesa foi reaberta no Taikoo Hui, em Guangzhou. Entre os produtos vendidos, está uma Birkin enfeitada com diamantes

 

bota da Hermès
Sapatos e artigos de couro também tiveram saída

Além disso, moradores da província de Guangdong, que representa a área mais rica do país, compareceram ao espaço para adquirir louças, sapatos, móveis e artigos de couro. Vários, inclusive, movimentaram redes sociais chinesas, como Weibo e Xiaohongshu, ostentando as novidades.

prints redes sociais chinesas com posts de compras
Nas redes sociais, chineses compartilharam a experiência de voltar às compras. As capturas de tela foram feitas pelo portal WWD

 

A Hermès não confirmou os números de vendas, mas comemorou a volta das atividades em territórios asiáticos. “A reabertura confirma o compromisso com o sul da China e marca um novo capítulo para a casa parisiense em Guangzhou, onde está presente desde 2004”, comunica a grife francesa.

Ainda de acordo com o WWD, antes da reabertura, a label fechou o ponto físico em Guangzhou, localizado no que era o centro de luxo da cidade, La Perle Plaza. Depois, fundiu essa equipe com sua loja em Taikoo Hui, inaugurada em 2011.

loja Hermès com pedestres de máscara
O comércio da China está em recuperação

 

mulher de máscara com sacolas de compra
Antes da pandemia, os chineses representavam os maiores consumidores do segmento de luxo

 

Globalmente, os impactos da Covid-19 são preocupantes. A pandemia resultou em lojas fechadas, eventos cancelados e empregos perdidos, mas também em uma relevante corrente de solidariedade. O setor já vem se preparando para consequências econômicas ainda mais intensas.

Na China, desde o mês passado, o comércio externo e o consumo doméstico vêm dando sinais significativos de melhora. Em geral, mais de 75% dos grandes exportadores retomaram quase toda a capacidade de produção, segundo o governo local.

 

Colaborou Rebeca Ligabue

Últimas notícias