Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

#HomeCouture: fashionistas reproduzem looks de passarela em casa

Tag do Instagram responde ao cancelamento de grandes semanas de moda com fotos de peças caseiras e divertidas, inspiradas em desfiles

atualizado 07/04/2020 18:27

Catwalking/Getty Images

Recentemente, semanas de moda de vários países foram canceladas devido à pandemia do novo coronavírus. Entre elas, a de alta-costura, conhecida pelos looks conceituais e, muitas vezes, bem performáticos. Felizmente, o jornalista e ilustrador inglês George Serventi (@skipdin) teve a ideia de montar sua própria versão da haute couture em casa. Criada por ele, a tag #HomeCouture propõe o desafio de recriar visuais de passarela com objetos caseiros e publicar no Instagram.

Vem comigo conferir alguns exemplos!

@skipdin/Reprodução

À Vogue norte-americana, Serventi contou que a ideia por trás do projeto é que as “rainhas da quarentena” montem seus próprios vestidos de baile em casa, como se fossem a Cinderela. Para isso, não há limite: rolos de papel higiênico e macarrão, por exemplo, viram adereços, assim como panelas podem render um fascinator imaginário.

Com fotos de alguns amigos, o jovem inglês incentivou internautas a reimaginarem o universo fabuloso das passarelas. Pense em criações ousadas de marcas como Comme des Garçons e Alexander McQueen, do segmento prêt-à-porter, reinterpretadas com uma infinidade de materiais caseiros. Bastou um pouco de criatividade e humor para várias paródias surgirem.

Um vestido rosa e volumoso de Molly Gorddard (alta-costura outono/inverno 2019), foi recriado, só que em uma versão de papel de seda. Sydney Pimbley (@sydneysurname) contribuiu transformando papelão em vestido texturizado da Maison Margiela, enquanto Maria Serventi (@mariaserventi) recriou um mule da Bottega Veneta com macarrão instantâneo. Tem até um cachorro vestindo uma sacola que imita um vestido da Moschino, que, originalmente, imita uma sacola!

A explicação para a ironia dos looks vai além do tédio do período de isolamento social. Alguns dos participantes têm uma visão crítica sobre o mundo da moda e acham que momentos marcantes das passarelas têm looks completamente “bizarros e inutilizáveis”.

“A indústria da moda é definitivamente culpada por se levar a sério demais”, pontua Serventi, radicado em Londres. Vale destacar que ele, assim como os amigos que participaram da #HomeCouture, são recém-graduados na aclamada escola de artes Central Saint Martins, que formou estilistas como John Galliano, Alexander McQueen e Marc Jacobs.

“O desafio é reunir pessoas on-line, pois não podemos sair fisicamente. É uma oportunidade de ser criativo e celebrar nossas criações de moda favoritas enquanto nos conectamos através do humor. Se não conseguimos rir, vamos chorar”, diz à Vogue.

Apesar de ter começado o desafio entre os amigos, Serventi brinca que o movimento já está se tornando global. Recentemente, recebeu sugestões de repost de pessoas de outros países, incluindo algumas de Nova York.

Nos últimos dias, as redes sociais ganharam várias iniciativas que funcionam como “escapismos” para a crise do coronavírus. Especialmente o Instagram, com perfis como Working From Home Fits (@wfhfits), que compila looks de quem está trabalhando de casa, e o novo projeto de conteúdo virtual da Bottega Veneta.

Já o TikTok vem bombando com a presença de celebridades fashionistas, como a socialite e designer Daphne Guinness. Algumas pessoas usam o espaço até para dar dicas de como organizar o closet.

 

Colaborou Hebert Madeira

Últimas notícias