Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Hebert Madeira e Sabrina Pessoa

Grupo LVMH e Rihanna suspendem atividades da marca de luxo Fenty

O e-commerce da grife deve ficar indisponível nas próximas semanas. Por enquanto, o conglomerado francês focará nas outras marcas da cantora

atualizado 10/02/2021 15:39

RihannaFenty/Divulgação

Menos de dois anos após o lançamento, Rihanna e o grupo LVMH estão suspendendo as atividades da marca de luxo Fenty, fundada pela cantora em parceria com o conglomerado. Um breve comunicado enviado pela holding ao portal WWD, nesta quarta-feira (10/2), dá a entender que a grife pode retornar, mas não determinou um prazo para o fechamento. A partir de agora, a companhia francesa deve se concentrar no “crescimento e desenvolvimento” das linhas de Rihanna nos segmentos de maquiagem, skincare e lingerie.

Vem saber mais detalhes!

@rihanna/Giphy/Reprodução

Pausa nas coleções de luxo

Segundo o WWD, a pausa da Fenty foi uma escolha mútua. “Rihanna e LVMH tomaram conjuntamente a decisão de suspender a atividade ready-to-wear, com sede na Europa, dependendo das melhores condições”, informa um breve comunicado enviado exclusivamente ao portal. O conglomerado francês é dono de marcas como Louis Vuitton, Dior, Givenchy e Fendi.

A etiqueta de RiRi, especializada em roupas, calçados e acessórios, lançou sua última coleção – com sapatos criados pela designer Amina Muaddi – em novembro do ano passado e não atualizava o Instagram desde o dia 1º de janeiro. Os lançamentos sempre eram anunciados no site e nas redes sociais. O e-commerce oficial, principal plataforma de vendas da marca, deve ficar indisponível dentro das próximas semanas.

Na sede da marca, em Paris, uma equipe reduzida está atuando para encerrar o resto das operações. O site de moda norte-americano diz que a cantora está triste com a situação. Rihanna é fundadora, CEO e diretora criativa da grife. Normalmente, ela acompanhava as equipes de design na França e a produção na Itália, mas ficou impossibilitada de viajar durante a pandemia de Covid-19 e se manteve em Los Angeles, nos Estados Unidos.

O esforço de fazer parte remotamente do desenvolvimento das várias coleções anuais da etiqueta de luxo foi mais oneroso do que o esperado, detalhe que influenciou na pausa da marca. Neste momento, a cantora e o grupo LVMH priorizarão os negócios da Fenty Beauty (maquiagem), Fenty Skin (produtos para pele) e Savage x Fenty (lingeries), todos com sede em solo norte-americano.

Rihanna
A Fenty, marca de luxo da cantora Rihanna com o grupo LVMH, suspenderá suas atividades por tempo indeterminado

 

Peças da Fenty
A suspensão das atividades da grife é uma decisão conjunta do conglomerado francês com a cantora, como informa o breve comunicado enviado ao WWD

 

Amina Muaddi e Rihanna
A etiqueta é especializada em vestuário, calçados e acessórios de luxo. A última coleção foi uma série de sapatos desenhados por Amina Muaddi, designer que aparece ao lado de Rihanna nesta foto

 

Sandália da Fenty
A marca não atualizava o Instagram desde 1º de janeiro

 

Imersão da LVMH na Savage x Fenty

A aclamada linha de lingeries Savage x Fenty foi lançada em 2018 com a empresa TechStyle Fashion Group. Diferentemente das linhas de cosméticos e skincare de Rihanna, a marca de peças íntimas não faz parte do grupo LVMH. No entanto, o conglomerado tem uma participação na empresa de private equity L Catterton, que liderou uma arrecadação de US$ 115 milhões para investir na expansão da etiqueta.

Conforme a coluna mostrou no fim de 2020, a marca estava procurando investimento para adentrar na categoria de activewear e expandir os negócios para a Europa, com ajuda da Goldman Sachs. O WWD aponta que a arrecadação de fundos, confirmada pelo grupo francês, atraiu investidores como Marcy Venture Partners, Avenir e Sunley House.

“Após a conclusão de uma rodada de arrecadação de fundos em que L Catterton adquiriu uma participação no Savage X Fenty, LVMH e Rihanna reafirmam sua ambição de se concentrarem no crescimento e no desenvolvimento de longo prazo do ecossistema Fenty com foco em cosméticos, cuidados com a pele e lingerie”, informou declaração conjunta de Rihanna e do conglomerado de moda.

Bernard Arnault e Rihanna
A partir de agora, o grupo LVMH concentrará os esforços nas marcas de maquiagem, skincare e lingerie da cantora. Na foto, RiRi posa ao lado de Bernard Arnault, presidente e CEO da holding francesa

 

Peças da Fenty
Diferentemente das outras empresas de Rihanna, a linha de lingeries Savage x Fenty não faz parte do grupo LVMH. Porém, a companhia terá uma parcela de participação por meio da private equity L Catterton

 

Óculos de sol da Fenty
Dos seis lançamentos da Fenty em 2020, dois focaram em roupas, dois em óculos e dois em calçados

 

Sandália da Fenty
Calçados ousados desenhados por Amina Muaddi, uma das designers de sapatos favoritas de Rihanna

 

Cenário preocupante

Apesar da relevância de Rihanna, as peças de luxo com altos preços da Fenty não decolaram da mesma forma que os cosméticos da Fenty Beauty, bem mais acessíveis. A clientela da grife atraiu, principalmente, um perfil de “mulheres profissionais de alto patrimônio”.

Em outubro do ano passado, os resultados do terceiro trimestre já demonstravam um cenário nada otimista. “Temos sucessos, temos coisas que não funcionaram bem, por isso precisamos separar os dois e decidir realmente quais devem ser os principais pontos fortes da oferta nos próximos anos”, afirmou Jean-Jacques Guiony, diretor financeiro, na época.

Rihanna nos bastidores da Fenty
Os cosméticos da Fenty Beauty fazem um sucesso tremendo, mas a linha de roupas de luxo não teve o mesmo impacto

 

Peças da Fenty
O WWD define o perfil de clientes da Fenty como “mulheres profissionais de alto patrimônio”

 

Sandália da Fenty
A Fenty nasceu com uma proposta on-line e lançamentos com intervalos de um a três meses

 

Óculos de sol da Fenty
O estilo pessoal, caráter e as experiências de Rihanna são as fontes de inspiração da Fenty

 

Sobre a marca

Rihanna aproveitou o sucesso da Fenty Beauty para expandir seus negócios para a moda de luxo. Depois de uma série de rumores apontarem a nova empreitada na cantora no início de 2019, a Fenty foi anunciada oficialmente em maio daquele ano. Foi a primeira vez que o conglomerado lançou uma marca do zero, desde a maison de Christian Lacroix, em 1987, label que foi vendida pelo grupo em 2005. Além disso, Rihanna se tornou a primeira mulher negra a dirigir uma etiqueta de luxo.

Anteriormente, a cantora atuou como diretora criativa da Puma e estrelou campanhas de marcas como Gucci, Balmain e Emporio Armani. A relação com o LVMH começou antes mesmo da linha de maquiagens, quando ela estrelou uma campanha para a Dior e, depois, assinou uma coleção-cápsula de óculos para a grife.


Colaborou Hebert Madeira

Últimas notícias