Por Ilca Maria Estevão, Rebeca Ligabue, Sabrina Pessoa, Marcella Freitas, Carina Benedetti e Luiz Maza

Carol Lim e Humberto Leon deixam direção criativa da Kenzo

A dupla apresentará seu último desfile para a marca francesa no dia 23 de junho. Veja como eles renovaram o visual da grife

atualizado 17/06/2019 15:50

Donato Sardella/Getty Images for KENZO via Getty Images

Os estilistas Carol Lim e Humberto Leon estão com data marcada para deixar a direção criativa da Kenzo, grife que pertence ao grupo LVMH. A jornada de oito anos dos designers na label francesa termina oficialmente no dia 1º de julho. A partir de agora, eles pretendem se dedicar exclusivamente à própria marca e butique, Opening Ceremony, criada em 2002.

A informação foi divulgada pelos sites WWD e Business of Fashion nessa sexta-feira (14/06/2019).

O último desfile da dupla para a Kenzo será na Semana de Moda Masculina de Paris, no dia 23, com as novidades femininas e menswear da primavera/verão 2020. Referências trabalhadas ao longo dos últimos anos devem ser celebradas na apresentação.

Vem comigo!

Lim e Leon são norte-americanos, nascidos em Los Angeles, com ascendência asiática. Enquanto os pais da designer são coreanos, ele é filho de um peruano com uma chinesa. Formados pela Universidade da Califórnia em Berkeley, os dois abriram a Opening Ceremony em 2002, em Nova York. Com ela, ganharam destaque por oferecerem etiquetas de jovens talentos. A multimarcas também produz a própria linha, que pode ser encontrada em outras lojas.

A dupla chegou à Kenzo em 2011 para substituir o estilista Antonio Marras, que comandava a direção criativa desde 2003. O italiano apostava em uma estética feminina, clássica, com tecidos fluidos e motivos florais. Com a chegada dos designers asiáticos-americanos, a label ganhou peças estruturadas e cool, com toque de streetwear. Recrutados pelo ex-chefe do grupo LVMH Pierre-Yves Russel, defenderam a inclusão e a diversidade ao longo de quase uma década na marca.

Karl Prouse/Catwalking/Getty Images
O italiano Antonio Marras foi diretor criativo da Kenzo entre 2003 e 2011. Suas produções abusavam de estampas florais

 

Nathalie Lagneau/Catwalking/Getty Images
O olhar do designer trouxe para a marca uma pegada feminina e clássica

 

Karl Prouse/Catwalking/Getty Images
Vestido romântico da coleção primavera/verão 2007

 

Vestido fluido

 

Divulgação/Kenzo
Com a chegada de Carol Lim e Humberto Leon, a Kenzo ganhou uma injeção street na coleção primavera/verão 2012

 

Divulgação/Kenzo
A saia Ralph Lauren usada por Jennifer Lopez no CFDA Fashion Awards 2019 lembra esta da Kenzo

 

Divulgação/Kenzo
Os estilistas asiático-americanos não eliminaram a feminilidade e a fluidez de Antonio Marras. A dupla optou por aprimorá-las com novos elementos street

 

Oito anos atrás, as criações de Lim e Leon já eram tão contemporâneas e lúdicas que poderiam facilmente ter saído das semanas de moda atuais. Eles brincaram com volumes e modelagens modernas, cores vivas, logomania e recortes diferenciados.

Um moletom com bordado de tigre fez sucesso no street style antes mesmo da onda urbana que invadiu a moda de luxo nas últimas temporadas. As inovações agradaram em cheio ao público millennial masculino e feminino.

Vanni Bassetti/Getty Images
Moletom Kenzo com bordado de tigre, sucesso no street style. A foto é de 2014

 

Ben Pruchnie/FilmMagic via Getty Images
Estudante vestindo moletom Kenzo em 2012

 

Richard Bord/Getty Images
A dupla de estilistas trouxe um toque divertido e jovem à marca

 

Estrop/Getty Images
Os recortes e modelagens ganharam um toque cool

 

Estrop/Getty Images
Mix de poás coloridos

 

Estrop/Getty Images
Look com brilho e texturas apresentado em janeiro, na coleção outono/inverno 2019/2020

 

Estrop/Getty Images
Animal print moderno e descolado

 

Estrop/Getty Images
Estampas florais no look com silhueta ampla

 

Também mérito da dupla na Kenzo foi a pegada pop, com direito a parcerias com artistas e outras marcas. Um de seus shows, de outono/inverno 2014, teve a trilha sonora mixada pelo renomado diretor David Lynch, que forneceu uma escultura para a apresentação. Em campanhas, a grife colaborou com nomes como o fotógrafo David LaChapelle e o designer gráfico Jean Paul Goude.

Divulgação/Kenzo
Campanha primavera/verão 2019, fotografada por David LaChapelle

 

Divulgação/Kenzo
O designer gráfico Jean Paul Goude colaborou na campanha primavera/verão 2013

 

Divulgação/Kenzo
O diretor David Lynch, de Twin Peaks, desenhou o set da campanha de outono/inverno 2015

 

Divulgação/Kenzo
Britney Spears foi a estrela da campanha Memento Nº 2, em 2018, com cliques do fotógrafo Peter Lindbergh

 

No entanto, como apontado no Business of Fashion, a marca ainda ocupa a “subescala” do grupo LVMH, pois gera menos de 400 milhões de euros por ano. Além disso, demorou a se adaptar à necessidade constante do mercado por produtos de sucesso.

Donato Sardella/Getty Images for KENZO via Getty Images
Humberto Leon e Carol Lim

 

Thierry Chesnot/Getty Images
A dupla ao final da apresentação de outono/inverno 2019/20

 

A Kenzo foi fundada em Paris, no ano de 1970, pelo designer japonês Kenzo Takada, diretor criativo da label até 1999, quando se aposentou. Em breve, o grupo LVMH deve anunciar quem vai ocupar a função que foi de Carol Lim e Humberto Leon por oito anos.

Colaborou Hebert Madeira

Mais lidas
Últimas notícias