Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Por 2022, Freixo busca evangélicos e vai à igreja aliada de Bolsonaro

Pré-candidato ao governo do Rio, deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ) discursou para cerca de 100 bispos da Assembleia de Deus Madureira

atualizado 17/12/2021 12:10

Deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ) participa de evento na Assembleia de Deus Madureira, no Rio Reprodução

Pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro em 2022, o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ) vem tentando se aproximar do eleitorado evangélico no estado, ideologicamente mais associado ao bolsonarismo.

Na terça-feira da semana passada, 7 de dezembro, o deputado foi recebido por cerca de 90 bispos e de 900 pastores na Assembleia de Deus Ministério de Madureira, uma das maiores do Rio.

A igreja tem entre seus líderes o bispo Samuel Ferreira, filho do bispo primaz Manoel Ferreira. Samuel mora em São Paulo, mas fez questão de ir à capital fluminense para o evento com Freixo.

Outra liderança da igreja é o deputado federal Cezinha de Madureira (PSD-SP), atual presidente da Frente Parlamentar Evangélica. O parlamentar, porém, não participou do ato no Rio.

Articulação

A ida de Freixo à Assembleia de Deus de Madureira foi intermediada pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. O jurista é próximo do bispo Samuel Ferreira e outras lideranças da igreja.

Segundo aliados de Freixo, a aproximação com os evangélicos faz parte da estratégia do deputado fluminense para “desconstruir fake news” que criaram sobre o parlamentar nos últimos anos.

“Estou aqui em nome do que eu mais acredito na vida. Aquilo que salvou a minha vida, que é o diálogo. A capacidade de escuta. O caminho de Cristo é o caminho da verdade. Nunca o caminho da mentira. É por isso que eu vim aqui, olho no olho, com muita fraternidade, com muito carinho, com muito afeto, falar sobre verdade”, afirmou o próprio deputado no evento de 7 de dezembro.

Veja o vídeo:

A Assembleia de Deus Madureira foi a mesma onde André Mendonça comemorou sua posse como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A comemoração, porém, foi na filial da igreja em Brasília.

Embora apoie o governo Bolsonaro, a cúpula da igreja mantém diálogo com políticos de esquerda. Como mostrou a coluna, em junho, o bispo Manoel Ferreira se encontrou com o ex-presidente Lula (PT).

Mais lidas
Últimas notícias