Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Petistas querem elementos dos atos pró-democracia na campanha de Lula

Lideranças do PT dizem que a defesa de democracia mais inclusiva e outras ideias defendidas nos discursos serão utilizadas

atualizado 11/08/2022 19:28

Carta pela democracia é lida em ato na USPFábio Vieira/Metrópoles

Lideranças do PT querem levar para as campanhas do ex-presidente Lula e de outros candidatos do partido nas eleições deste ano elementos dos discursos feitos nos atos pró-democracia ocorridos nessa quinta-feira (11/8) em todo Brasil.

O motivo, dizem, é que muitas das ideias defendidas nos atos já fazem parte do que é defendido na essência da legenda. Dentre elas, a defesa de uma democracia mais “inclusiva” e voltada para as necessidades do trabalhador mais pobre.

Cabeças da campanha de Lula também pretendem sugerir que imagens das manifestações ocorridas em várias cidades do país sejam usadas nas propagandas dos candidatos. Eles ponderam, contudo, que essa tarefa caberá aos marqueteiros.

Os atos aconteceram em diversas universidades de Direito pelo Brasil nessa quinta. Um dos eventos de maiores proporções aconteceu na Faculdade de Direito da USP, em São Paulo.

Diversas entidades se manifestaram na capital paulista, incluindo antigos aliados do PT como o Movimento Sem Terra (MST) e a União Nacional dos Estudantes (UNE). Centrais sindicais como a CUT também estiveram presentes.

Como mostrou a coluna, Lula (PT) e seu candidato a vice nesta eleição, Geraldo Alckmin (PSB) preferiram não comparecer ao evento. O motivo seria evitar dar um caráter “eleitoral” ao ato.

Mesmo assim, alguns políticos ligados ao ex-presidente estiveram presentes, mas sem se manifestar, como o candidato da chapa ao governo paulista, Fernando Haddad (PT), e ao Senado, Márcio França (PSB).

Mais lidas
Últimas notícias