Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Liberais da equipe econômica atacam reforma do Imposto de Renda

A principal crítica do grupo é de que, no balanço geral, a proposta vai levar a um aumento da carga tributária

atualizado 25/06/2021 17:13

Imposto de rendaMarcello Casal Jr/ Divulgação

Liberais do Ministério da Economia criticaram duramente a proposta de reforma do Imposto de Renda (IR) entregue nesta sexta-feira (25/6) pelo ministro Paulo Guedes ao Congresso Nacional.

Nos bastidores, o grupo classificou a proposta como uma “tragédia” e avaliou que ela significa uma “traição” do chefe da equipe econômica aos ideais liberais que sempre defendeu.

A principal crítica é de que, no balanço geral, a reforma do IR provocará um aumento da carga tributária total sobre a economia, principalmente para o setor empresarial brasileiro.

Embora proponha o aumento da faixa de isenção do IR para pessoas físicas e a redução gradual de alíquota para empresas, a reforma prevê a retomada da tributação de lucros e dividendos, com alíquota de 20%.

Tributação X produção

Para os liberais, a reforma desconsiderou o fato de que a carga tributária brasileira já é muito alta, a ponto de provocar redução da produção, sobre a qual incide a tributação.

Nesse contexto, a avaliação do grupo é de que o correto seria diminuir as alíquotas. Dessa forma, dizem, a produção cresceria e, mesmo com alíquotas tributárias menores, a arrecadação aumentaria.

Integrantes do grupo ressaltam que essa ideia de baixar alíquotas para aumentar a arrecadação é uma teoria da Escola de Chicago, onde o atual ministro da Economia fez pós-graduação.

Para esses integrantes do ministério, com a proposta entregue ao Congresso, Guedes “priorizou” a Receita Federal em detrimento aos ideais liberais. Procurado pela coluna, o ministro ainda não respondeu.

Últimas notícias
Mais lidas