Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Em meio à greve, governo faz novas trocas na cúpula da Receita

Após a saída do secretário José Barroso Tostes Neto, governo fez mais três mudanças na cúpula da Receita Federal

atualizado 07/01/2022 12:19

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em meio à greve de auditores da Receita Federal em todo país por melhorias salariais, o Ministério da Economia trocou, nesta sexta-feira (7/1), mais três nomes que ocupavam cargos na cúpula do órgão.

Foi publicado no Diário Oficial da União a exoneração do subsecretário-geral da Receita, Décio Pialarissi; do secretário especial adjunto, Marcelo Silva, e do subsecretário de Gestão Corporativa, Moacyr Mondardo.

As trocas ocorrem após a saída do secretário da Receita José Barroso Tostes Neto, no início de dezembro de 2021, após atrito com lideranças do Centrão e integrantes da família do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Economia, as “mudanças que ocorreram fazem parte de um processo natural de formação da nova gestão do órgão”.

No caso de Décio, como mostrou a coluna, ele já tinha sido agraciado com um cargo no exterior após a saída de Tostes. Ele foi nomeado para a função de adido tributário e aduaneiro na Embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos.

Na portaria desta sexta, já foram nomeados os substitutos dos auditores exonerados. José de Assis Ferraz Neto foi nomeado como subsecretário-geral. Ele chegou atuar interinamente como secretário da Receita após a saída de Marcos Cintra, em 2019.

Sandro de Vargas Serpa, por sua vez, será o novo secretário especial adjunto. Já Juliano Brito da Justa Neves foi nomeado para o cargo de Moacyr Mondardo, como subsecretário de Gestão Corporativa.

Mais lidas
Últimas notícias