Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

De saída do PP, vice de Alckmin em 2018 analisa convites de 4 partidos

Ex-senadora Ana Amélia pretende deixar o Progressistas por avaliar que a sigla inviabilizou a possível candidatura dela ao Senado em 2022

atualizado 02/08/2021 20:20

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Candidata a vice-presidente na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) em 2018, a ex-senadora Ana Amélia (PP-RS) deve deixar o Progressistas, partido ao qual é filiada desde 2009. À coluna, ela afirmou estar “avaliando convites” de filiação feitos por quatro legendas: PSD, PSDB, PSL e PR.

À coluna, Ana Amélia explicou que deve deixar o Progressistas em razão do lançamento da pré-candidatura do senador bolsonarista Luis Carlos Heinze (PP-RS) ao governo do Rio Grande do Sul. Segundo ela, isso inviabilizou a possível candidatura dela ao Senado pelo estado em 2022.

“O PP, com o lançamento da candidatura Heinze ao governo, inviabiliza eventual candidatura minha ao Senado, porque ele precisa oferecer a (outra) vaga majoritária (ao Senado) a algum partido aliado que venha se aliar a ele”, afirmou Ana Amélia à coluna.

“Estou avaliando os convites que recebi do Gilberto Kassab (PSD), Eduardo Leite (PSDB), Luciano Bivar (PSL) e Carlos Gomes (PR). (…) Tenho até março para tomar essa decisão”, acrescentou a ex-senadora, que atualmente é secretária de Relações Federativas e Internacionais do governo Leite.

Mais lidas
Últimas notícias