CPI define plano B caso STF libere governadores dos depoimentos

Estratégia foi acordada em reunião nesta quinta-feira, após o Supremo autorizar o governador do Amazonas a não comparecer à comissão

atualizado 10/06/2021 15:40

Senadores na CPI da CovidRafaela Felicciano/Metrópoles

Integrantes do chamado G7, grupo majoritário da CPI da Covid do Senado, definiram nesta quinta-feira (10/6) o plano B para caso o Supremo Tribunal Federal (STF) libere outros governadores de deporem na comissão.

A estratégia foi acordada em reunião do grupo após a sessão do colegiado desta quinta-feira, que acabou mais cedo após a ministra Rosa Weber autorizar o governador Amazonas, Wilson Lima (PSC), a não comparecer à CPI.

Pelo acordo, o plano B envolve, primeiro, aprovar um requerimento transformando as convocações em convites, quando os gestores deixam de ser obrigados a comparecer e a falar a verdade.

Se o governador, mesmo assim, recusar o convite para falar aos integrantes da CPI, senadores do G7 acertaram que vão convocar o secretário de Saúde daquele estado a depor.

Os requerimentos de convocação dos secretários estaduais de Saúde estão sendo preparados pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), suplente da CPI.

Paralelo ao plano B, o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), anunciou que a Advocacia do Senado vai recorrer da decisão da ministra Rosa Weber.

Últimas notícias