Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Congresso volta em fevereiro, mas CPI das Fake News só após o Carnaval

Presidente da CPMI das Fake News disse à coluna que trabalhos só devem ser retomados em março por causa da alta de casos da Covid no Brasil

atualizado 18/01/2022 17:07

Angelo CoronelRoque Sá/Agência Senado

Presidente da CPMI das Fake News, o senador Angelo Coronel (PSD-BA) admitiu à coluna que, embora o Congresso Nacional vá voltar às atividades no início de fevereiro, os trabalhos da comissão só serão retomados depois do Carnaval, em março. O colegiado está parado desde o início da pandemia no Brasil, em março de 2020.

Segundo o senador, o motivo para só retomar os trabalhos da CPMI em março seria o agravamento da Covid-19, provocado pela variante Ômicron da doença. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), por exemplo, já informou à coluna que a Casa retomará os trabalhos de forma semipresencial.

“Com esse agravamento da pandemia, provavelmente por precaução, já que se trata de uma comissão mista, grande, com 16 senadores, 16 deputados e mais 32 suplentes, é temerário fazermos com a pandemia em alta. Provavelmente ela deverá ficar para após o Carnaval, para o início da março”, disse Angelo Coronel à coluna.

A expectativa de parlamentares é que a CPMI seja um dos fiéis da balança nas eleições deste ano. O colegiado investiga a divulgação de fake news por parte de aliados do governo. Também averigua a existência do chamado “gabinete do ódio”, parte da estrutura do Planalto voltada para atacar opositores de Jair Bolsonaro

Para aliados, a relatora da comissão, deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) deve apresentar o relatório final antes do recesso de meio de ano do Congresso, previsto para começar em 17 de junho. Em agosto, os parlamentares estarão focados na campanha eleitoral.

Mais lidas
Últimas notícias