Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Ciro Nogueira sonda integrantes do PP sobre filiação de Bolsonaro

Na sexta-feira (24/9), o ministro promoveu reunião com dirigentes estaduais e parlamentares do partido para discutir o assunto

atualizado 29/09/2021 9:05

Ciro NogueiraRafaela Felicciano/Metrópoles

Ministro da Casa Civil e presidente licenciado do Progressistas, o senador Ciro Nogueira (PI) começou a consultar oficialmente integrantes do partido para saber se concordam ou não com uma possível filiação do presidente Jair Bolsonaro à legenda.

As sondagens começaram na semana passada, quando Ciro passou a ligar para lideranças da sigla. Na sexta-feira (24/9), ele também promoveu reunião virtual com parte dos presidentes estaduais e parlamentares do partido para debater o assunto.

A maioria dos dirigentes que participou do encontro se posicionou a favor da entrada de Bolsonaro no Progressistas. Uma das poucas que teria feito ponderações contra a filiação foi a deputada federal Celina Leão, presidente da legenda no Distrito Federal.

Além de Celina, participaram da reunião virtual os deputados federais Ricardo Barros, que controla o Progressistas no Paraná; Neri Geller, que comanda o partido no Mato Grosso; e Dr. Luizinho, que preside a legenda no Estado do Rio de Janeiro.

Secretário de Transportes Metropolitanos do governo João Doria em São Paulo, o ex-deputado e ex-ministro Alexandre Baldy também participou da conversa e se posicionou a favor da filiação de Bolsonaro. Baldy controla a sigla em Goiás.

Resistências

A maioria pro-filiação na reunião virtual, porém, não reflete o cenário geral no Progressistas. Contrária à entrada de Bolsonaro no partido, a maioria dos dirigentes estaduais da sigla no Norte e Nordeste não participou do encontro.

Dirigentes desses estados, entre eles, Bahia e Pernambuco, argumentam que a entrada do atual presidente da República no Progressistas atrapalhará a formação de alianças com legendas de esquerda em nível regional, para as eleições de 2022.

Já aqueles que são favoráveis sustentam que, uma vez no partido, Bolsonaro ajudará a sigla a eleger uma bancada robusta na Câmara dos Deputados, foco principal do Progressistas em eleições gerais, por ser o principal critério para divisão do fundo partidário.

Mais lidas
Últimas notícias