Notícias, furos e bastidores de política e economia. Com Gustavo Zucchi

Bolsonaristas apontam contradição em filiação de Moro à sigla de Bivar

Aliados de Jair Bolsonaro lembram que, quando era ministro, o ex-juiz orientou o presidente a se afastar do dirigente partidário

atualizado 05/04/2022 8:04

O ex-juiz Sergio Moro ao lado de Luciano Bivar, futuro presidente do União Brasil, e de Renata Abreu, presidente do PodemosReprodução

Parlamentares bolsonaristas dizem, nos bastidores, “estranhar” o fato de o ex-juiz Sergio Moro ter topado se filiar ao União Brasil, partido comandado pelo deputado federal Luciano Bivar (PE).

O motivo do estranhamento, afirmam, seria o fato de que Moro costumava fazer “alertas” ao presidente Jair Bolsonaro sobre Bivar, quando era ministro da Justiça, no início do governo.

Segundo ao menos três deputados federais bolsonaristas ouvidos pela coluna, o ex-juiz era um dos ministros que mais “orientaram” o presidente da República a se afastar do dirigente partidário.

Os parlamentares lembram que, em outubro de 2019, endereços de Bivar chegaram a ser alvos de busca e apreensão pela Polícia Federal, em operação que investigava supostas “candidaturas laranjas” nas eleições de 2018.

Na época, Moro era ministro da Justiça, a quem a PF está vinculada. Bivar, por sua vez, ainda presidia o PSL, sigla pela qual Bolsonaro se elegeu em 2018 e que se transformou no União Brasil, após a fusão com o DEM.

Segundo bolsonaristas, as “orientações” de Moro teriam sido o “estopim” para a crise entre Bolsonaro e Bivar, que culminou com a saída do presidente do PSL, em novembro de 2019.

Pouco mais de dois anos depois, o ex-juiz anunciou, na semana passada, sua filiação ao União Brasil para, possivelmente, disputar uma vaga no Senado ou na Câmara por São Paulo.

Mais lidas
Últimas notícias