Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Vitória de Tarcísio mostra possível erro da campanha de Haddad; análise

Campanha de Fernando Haddad decidiu afagar Tarcísio de Freitas e centrar fogo em Rodrigo Garcia no primeiro turno

atualizado 03/10/2022 11:35

Reprodução/ TV Globo

A vitória de Tarcísio de Freitas no primeiro turno, com quase sete pontos percentuais de vantagem sobre Fernando Haddad, mostra que pode ter sido errada a estratégia da campanha do petista de afagar o bolsonarista e centrar fogo no tucano Rodrigo Garcia.

A coordenação da campanha de Haddad considerava que enfrentar o bolsonarista no segundo turno seria melhor para o petista, já que a sigla poderia trazer a polarização nacional para o estado.

Quando a avaliação foi feita, os petistas de São Paulo imaginavam que Lula poderia vencer no estado ou que a vantagem para Bolsonaro seria menor do que a registrada. O presidente também teve sete pontos percentuais de vantagem em relação a Lula.

Haddad disse ao término da votação que o voto útil do eleitorado de Garcia migrou de forma antecipada para o ex-ministro bolsonarista.

Após a eleição, o QG de Haddad estava atônito com os resultados colhidos nas urnas. Já os aliados de Tarcísio confidenciaram que nem as melhores projeções apontariam para o resultado.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna