Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Última cartada para evitar liberação dos jogos mirou em ministros

Próximo a Bolsonaro, deputado Hélio Lopes recebeu lista de ministros entusiastas do projeto

atualizado 25/02/2022 22:58

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga Atletas olímpicos e paralímpicos Jogos de Tóquio são recebidos pelo presidente Jair Bolsonaro no Palácio do PlanaltoHugo Barreto/Metrópoles

Coube ao deputado Hélio Lopes, do União Brasil do Rio de Janeiro, fazer o último apelo a Jair Bolsonaro para tentar evitar a aprovação dos jogos de azar na Câmara. A esperança era que Bolsonaro enquadrasse ministros entusiastas do projeto. Não deu certo. A Casa concordou com o projeto de lei na quinta-feira (24/2).

Em reunião da bancada evangélica na terça-feira (22/2), deputados reclamaram que Bolsonaro, crítico ao projeto, estava sendo derrotado pelos próprios ministros. Hélio Lopes, então, se voluntariou para conversar com o presidente e dar uma última cartada, já que o texto poderia ser votado a qualquer momento.

Diretor da bancada, Lopes solicitou ao presidente da frente parlamentar, deputado Sóstenes Cavalcante, também do União Brasil do Rio de Janeiro, que lhe entregasse uma lista com os ministros favoráveis aos jogos. Cavalcante topou prontamente e já ia falando os nomes quando foi interrompido por Lopes: “Em off”, disse, pedindo para que os nomes só ficassem entre eles dois.

Entre os ministros considerados adversários da bancada evangélica no projeto dos jogos, estão Paulo Guedes, da Economia; Ciro Nogueira, da Casa Civil; e Gilson Machado, do Turismo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna