metropoles.com

TCU suspende compra de R$ 19,2 milhões em máquinas para a Codevasf

Tribunal de Contas da União (TCU) concedeu medida cautelar para apurar indícios de fraude no pregão organizado pela Codevasf

atualizado

Compartilhar notícia

Fotos: Vinícius Schmidt/Metrópoles
Tratores doados pela Codevasf estacionados na superintendência regional da CONAB em Goiás - Goiânia (GO) 11/05/2021
1 de 1 Tratores doados pela Codevasf estacionados na superintendência regional da CONAB em Goiás - Goiânia (GO) 11/05/2021 - Foto: Fotos: Vinícius Schmidt/Metrópoles

O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), concedeu medida cautelar e suspendeu a compra de equipamentos avaliados em R$ 19,2 milhões pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e
Parnaíba (Codevasf).

A decisão foi tomada em 25 de março. O pregão eletrônico feito pela Codevasf previa a compra de 20 escavadeiras hidráulicas, três motoniveladoras e dois rolos compactadores lisos. As máquinas atenderiam municípios, associações e comunidades rurais no Tocantins.

A ação foi movida pela empresa XCMG Brasil Indústria Ltda. Segundo o processo, a companhia vencedora, a Eurotractor Engenharia e Comércio Ltda, apresentou declaração com conteúdo falso para obter vantagens oferecidas a microempresas e a empresas de pequeno porte.

A reclamação aponta que a Eurotractor atuaria como empresa de fachada para a Tractorgyn Equipamento e Peças Ltda, uma companhia de grande porte cujos sócios, Marlon J. Becker e Augusto L. Becker, pertencem ao mesmo grupo econômico.

O ministro Bruno Dantas corroborou a existência de indícios de fraude e pediu para que a Codevasf se pronuncie em até 15 dias sobre o ocorrido.

Entre as informações que a Codevasf deverá prestar estão documentos que esclareçam se a companhia “fez prévio levantamento de mercado para o fornecimento das máquinas pesadas com o objetivo de prospectar a existência de, no mínimo, três fornecedores enquadrados como microempresa ou como empresa de pequeno porte, sediados local ou regionalmente”.

(Atualização às 12h30 de 7 de abril de 2022: Em nota, a Codevasf afirmou que a licitação seguiu as normais legais e que fornecerá as informações solicitadas pelo TCU. “Caso seja constatada irregularidade na declaração de ME/EPP após as oitivas determinadas pelo tribunal, a Companhia adotará as medidas cabíveis. A Codevasf atua com atenção à legislação em vigor e em cooperação permanente com órgãos de fiscalização e controle”.)

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comGuilherme Amado

Você quer ficar por dentro da coluna Guilherme Amado e receber notificações em tempo real?