Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Startup brasileira de tokenização recebe aporte de US$ 2,4 milhões

DIVI•hub pretende usar o montante para ampliar a estrutura de negócios e lançar projetos de captação na música e nos esportes

atualizado 23/09/2021 9:59

A startup brasileira DIVI•hub, especializada na tokenização de projetos de economia criativa, recebeu um aporte de US$ 2,4 milhões (cerca de R$ 12,6 milhões) da holding de investimentos americana Comstar International LTD. O montante, que representa 10% de todo o capital da empresa, será usado para custear as operações no Brasil e para expandir os serviços da startup para os mercados fonográfico e esportivo.

A tokenização é o processo de fragmentação de um ativo real, como um game ou uma música, em frações digitais que podem ser compradas por pessoas físicas ou jurídicas. A DIVI•hub, fundada por Ricardo Wendel, opera a venda de DIVIs, valores mobiliários que custam R$ 10 cada e permitem aos investidores participar das receitas ou dos lucros do projeto que foi apoiado.

A empresa foi homologada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em agosto. Há a expectativa de que a CVM regularize o mercado secundário de ativos até o fim do ano, o que autorizará os investidores a negociarem os valores mobiliários entre si.

A empresa terá pelo menos seis projetos captando investimentos até dezembro. Assinaram contrato com a startup os youtubers Metaforando (5 milhões de inscritos), Castro Brothers (4,5 milhões de inscritos), Irmãos Piologo (2,5 milhões de inscritos), Bibi Tatto (8,9 milhões de inscritos), Rato Borrachudo (3,7 milhões de inscritos) e Fábio Rabin (893 mil inscritos).

A ideia, agora, é entrar no universo fonográfico. A DIVI•hub tem conversas com uma banda de heavy metal americana que pretende lançar um single com aportes de fãs brasileiros. Como as negociações estão em andamento, o grupo musical não teve o nome revelado.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna