Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Sergio Moro custou ao menos R$ 288 mil ao Podemos

Antes de perder Sergio Moro, o Podemos pagou pelo menos R$ 88 mil de salário ao ex-juiz

atualizado 31/03/2022 14:28

Sérgio Moro, ex-juiz e atual pré-candidato a Presidência da República. Ele usa terno escuro e camiseta branca- MetopolesAndre Borges/Esp. Metrópoles

Antes de perder Sergio Moro, sua principal aposta nos últimos anos, o Podemos pagou pelo menos R$ 88 mil de salário ao ex-juiz. O partido também desembolsou R$ 200 mil para lançar Moro ao Planalto, além de ter bancado viagens do ex-juiz a diversos estados e à Alemanha. Nesta quinta-feira (31/3), Moro trocou o Podemos pelo União Brasil.

Moro se filiou ao Podemos e lançou sua pré-candidatura à Presidência em 10 de novembro do ano passado, em um evento em Brasília que custou R$ 200 mil. Em dezembro, janeiro, fevereiro e março, Moro ganhou R$ 22 mil mensais da sigla por sua posição de vice-presidente do partido no Paraná.

Provavelmente, a conta é bem maior. Não é possível saber quanto o partido gastou com itens como segurança, transporte e assessoria para o então presidenciável.

Curiosamente, a condição financeira do Podemos pesou para Moro deixar o partido. O ex-juiz enfrentava dificuldades financeiras na sigla para alavancar sua candidatura. Ainda no fim do ano passado, Moro começou a cogitar ir para o União Brasil, partido que nasceu da fusão de PSL e DEM.

A ida de Moro à sigla era condicionada à desistência do projeto presidencial. Agora, a direção nacional do União Brasil trabalha para lançar o ex-juiz como candidato a deputado federal por São Paulo.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna