Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Secretário da Rouanet leva arma para o trabalho

Mário Frias também tem o hábito de levar uma arma para a Secretaria da Cultura.

atualizado 28/05/2021 23:27

facebook

Servidores do Ministério do Turismo têm se queixado do clima de insegurança no ambiente de trabalho: o secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, André Porciuncula, responsável pela Lei Rouanet, tem o costume de ir trabalhar armado.

De acordo com alguns servidores ouvidos pela coluna, a presença da arma constrange os funcionários, que se sentem receosos em emitir pareceres contrários à linha bolsonarista seguida pelo secretário, que é ex-PM e elogia propostas do presidente para armar a população.

De acordo com os relatos, o clima é de tensão e ameaça.

Porciuncula não é o único a ir armado para o trabalho. Mário Frias também tem o hábito de levar uma arma para a Secretaria da Cultura, como relatou o repórter Eduardo Moura.

A abordagem de Porciuncula, no entanto, seria diferente da usada por Frias, de gritar com os colegas, embora também tenha o hábito, segundo os relatos, de destratar funcionários.

O secretário também teria causado constrangimento com superiores por ter assinado em março, sem a análise da consultoria jurídica, uma portaria para priorizar projetos culturais em estados que não empreguem medidas de restrição para tentar controlar a pandemia e que são alvo de Bolsonaro.

Menos de quatro semanas depois, em 29 de março, o ministro do Turismo, Gilson Machado, assinou uma portaria que obriga todas as minutas de atos normativos a passarem pela Consultoria Jurídica, mesmo quando não precisarem da assinatura de Machado.

A coluna contatou o Ministério do Turismo, mas não obteve resposta até o momento.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna