Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Randolfe pede ao STF que PGR avalie prisão de empresários que defenderam golpe

A petição foi apresentada no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos e pede a prisão preventiva, se necessária, e quebra de sigilos

atualizado 17/08/2022 18:57

A CPI da COVID-19, também chamada de CPI PANDEMIA no senado federalIgo Estrela/Metrópoles

O senador Randolfe Rodrigues acionou, na tarde desta quarta-feira (17/8), o Supremo Tribunal Federal contra os empresários que defenderam, no grupo “Empresários e Política”, um golpe de Estado caso Lula vença as eleições. Randolfe pediu ao STF que a Polícia Federal e o Ministério Público Federal sejam acionados para avaliarem a quebra de sigilo, congelamento de contas e prisão preventiva, se necessário.

A petição foi apresentada no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos.

O relator do inquérito dos atos antidemocráticos é o ministro Alexandre de Moraes, que é chamado de “skihead do PCC” no grupo de empresários bolsonaristas.

A coluna revelou nesta quarta-feira que empresários apoiadores de Jair Bolsonaro passaram a defender abertamente um golpe de Estado caso Lula seja eleito em outubro, derrotando o atual presidente. A defesa explícita de um golpe, feita por alguns integrantes, se soma a uma postura comum a quase todos: ataques sistemáticos ao Supremo Tribunal Federal (STF), ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a quaisquer pessoas ou instituições que se oponham ao ímpeto autoritário de Jair Bolsonaro.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna