Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Presidente da Alerj diz que PT-RJ abrirá mão de “tudo” para eleger Lula em 2022

André Ceciliano diz que partido no Rio topa não ter cargos majoritários em prol de projeto nacional

atualizado 06/10/2021 15:09

Agência Brasil e Rafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente da Assembleia do Rio de Janeiro, André Ceciliano (PT), afirmou que o principal projeto do partido no estado no ano que vem é eleger Lula. Em miúdos, isso significa que o PT-RJ topa abrir mão de ter candidato ao governo do estado, a vice-governador ou ao Senado, ou seja, a qualquer cargo majoritário, em nome de fazer alianças que ajudem ao projeto nacional da legenda.

Diz Ceciliano:

“O PT do Rio topa abrir mão de tudo se for necessário para compor com outros partidos e formar uma chapa forte para eleger Lula presidente. Não precisamos lançar candidato a governador, nem a vice, nem ao Senado. O PT-RJ está aberto a tudo isso”.

Ceciliano reconheceu que seu nome e o do prefeito de Maricá, Fabiano Horta, têm aparecido bem em pesquisas, quando é associado a eles o apoio de Lula. Mas disse que isso não significa que a legenda lançará um dos dois nomes.

O presidente do PT-RJ, Washington Quaquá, entretanto, cogita lançar candidatura própria.

Quaquá, que também é de Maricá e antecedeu Horta, argumenta que Horta faz na cidade da região metropolitana uma administração que aplica, na prática, o programa de renda mínima de cidadania, defendido pelo PT, gerando uma economia circular no município. Outra bandeira seria o ônibus público de graça que Maricá oferece em todo o seu território.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna