Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Moraes revoga prisão de militante bolsonarista

Ministro havia decretado prisão de Oswaldo Eustáquio para evitar "agressões e ameaças contra a democracia" no 7 de Setembro

atualizado 21/09/2021 14:21

Ato 7 de Setembro com Jair Bolsonaro na Avenida Paulista em SPFábio Vieira/Metrópoles

O ministro Alexandre de Moraes revogou a prisão do militante bolsonarista Oswaldo Eustáquio. A decisão foi assinada no último dia 9. Quatro dias antes, Moraes havia decretado a prisão preventiva de Eustáquio, com vistas a evitar “agressões e ameaças contra a democracia” no 7 de Setembro.

A decisão de Moraes foi confirmada pela defesa de Oswaldo Eustáquio. No documento, o ministro escreveu que após o feriado do 7 de Setembro não havia mais elementos necessários para a detenção. Antes do protesto, Moraes havia considerado que o militante estava incitando atos antidemocráticos.

“Decretei a prisão preventiva de Oswaldo Eustáquio por entender, na ocasião, haver a presença dos requisitos legais para garantia da ordem pública, com base na situação fática de então, em especial o fato de o investigado incitar a realização de atos violentos e antidemocráticos no feriado de 7 de setembro, bem como de auxiliar a divulgação de mensagens criminosas de outro investigado, também direcionadas ao referido feriado, por meio de lives”, afirmou o ministro.

O outro investigado citado na decisão é o caminhoneiro Marcos Gomes, conhecido como Zé Trovão, que também é alvo desse inquérito sigiloso no STF. Eustáquio e Trovão não chegaram a ser presos. Viajaram para o México e permanecem naquele país.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna