Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Juízes e promotores conservadores indicam desembargador evangélico para STF

Grupo conservador expressa apoio ao nome de William Douglas, desembargador e pastor

atualizado 09/06/2021 17:39

Juiz William DouglasReprodução/Redes Sociais

Um grupo formado por 100 juízes e integrantes do Ministério Público (MP) enviou uma carta a Jair Bolsonaro em que pede a indicação do desembargador federal William Douglas, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), para STF.

O conjunto de remetentes se declara conservador e agrega juízes e desembargadores federais, estaduais e do trabalho, além de procuradores da República e integrantes de MPs estaduais e do Ministério Público Militar.

Na carta, o desembargador federal é apontado como o substituto ideal a Marco Aurélio Mello devido a sua posição ideológica. “Entendemos que o desembargador William Douglas representa os anseios do povo brasileiro no que diz respeito aos valores intrínsecos ao Estado de Direito, que, por excelência, é democrático, valores esses como o direito à vida, inclusive a intrauterina, a proteção do núcleo familiar, a proteção do bem-estar das nossas crianças, o respeito à liberdade religiosa, dentre outros”, enumerou o grupo.

Douglas é pastor da Igreja Batista Getsemani e, segundo o documento, “destinatário da aceitação por um grande contingente de cristãos”. Em vários momentos, Bolsonaro prometeu conceder a vaga no Supremo a um candidato que seja “terrivelmente evangélico”. A cadeira no STF ficará vaga em julho.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna