Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Juiz denunciado pelo MP por fraudes some do site da AMB

Juiz Levine Raja Artiaga desapareceu, nesta segunda-feira (25/10), do site da Associação dos Magistrados Brasileiros

atualizado 26/10/2021 16:25

TJGO

Denunciado pelo MPGO por supostas fraudes processuais que causaram um prejuízo de R$ 18 milhões, o juiz Levine Raja Artiaga desapareceu nesta segunda-feira (25/10) do site da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Na véspera, os repórteres Maurício Ferraz e Renato Ferezin mostraram que Artiaga é suspeito de ter recebido cerca de R$ 1,8 milhão do suposto esquema.

Até a manhã desta segunda-feira (25/10), Artiaga aparecia em destaque no portal da entidade: constava como vice-presidente de Administração. No início da tarde, nome, foto e até o cargo sumiram da página.

Os investigadores denunciaram Artiaga e outras 18 pessoas por suposta participação em uma organização criminosa que produzia decisões fraudulentas enquanto o juiz despachava na Comarca de Corumbá de Goiás. Em uma das decisões, uma apresentadora de TV usou informações falsas para conseguir uma paternidade socioafetiva pós-morte.

Procurada, a AMB não comentou a retirada do nome de Artiaga de seu site após a reportagem, nem detalhou que providências tomou sobre o caso. Segundo a associação, Artiaga foi afastado de sua função em dezembro de 2020. “Temos a convicção de que a instância correcional do Poder Judiciário — o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) — apurará eventuais responsabilidades”, seguiu a AMB.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna
Mais lidas