Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Já ministro, Guedes pode ter lucrado R$ 14 milhões com dólares de offshore

Ministro da Economia é dono de uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas desde 2014

atualizado 03/10/2021 15:44

EDU ANDRADE/Ascom/ME - 25/08/2021

O ministro da Economia Paulo Guedes pode ter lucrado R$ 14 milhões com a valorização do dólar apenas durante o seu mandato a frente da pasta. Isso porque a offshore que Paulo Guedes mantém nas Ilhas Virgens Britânicas, a Dreadnought International, revelada neste domingo (3/10) pelo especial Pandora Papers, do qual o Metrópoles faz parte, tinha US$ 9,55 milhões em 24 de setembro de 2014.

Esse montante correspondia a quase R$ 37 milhões quando ele foi nomeado para comandar a economia brasileira pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A cotação na época era de R$ 3,85 para cada unidade da moeda americana. Hoje, a cotação é de R$ 5,37 por unidade do dólar. Assim, o montante detido pela Dreagnought vale R$ 51,3 milhões.

Comandando um super ministério que engloba as antigas pastas da Fazenda, do Planejamento e do Comércio Exterior, entre outras, as ações de Guedes têm um impacto direto na cotação do dólar em reais.

Sabendo disso, ele afirmou em março de 2020, quando a pandemia de Covid-19 ainda estava no começo, que se fizesse muita besteira, a cotação da moeda poderia chegar a R$ 5.

A revelação da offshore já levou o  líder da Oposição na Câmara, o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) a pedir uma ação de improbidade no Ministério Público contra o ministro da Economia e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que também possui uma offshore.

O Pandora Papers é uma investigação global coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, na sigla em inglês). Clique aqui para ler todas as reportagens e assistir aos vídeos do especial multimídia.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna