Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Governo gastou R$ 441 mil para impulsionar um único post

Ministério da Cidadania desembolsou R$ 4,7 milhões para alavancar 136 posts nas redes sociais desde 2020

atualizado 28/09/2021 11:37

O Ministério da Cidadania gastou R$ 441 mil para impulsionar uma única publicação no Facebook, sobre o auxílio emergencial, num período em que Jair Bolsonaro alcançou um dos menores patamares de popularidade. Ainda assim, a postagem resultou em poucas interações.

A postagem foi feita em 19 de julho, já durante a gestão de João Roma à frente da pasta. O post dizia que o auxílio emergencial “já beneficiou mais de 68 milhões de pessoas”. Teve apenas 172 comentários e 20 compartilhamentos.

Menos de duas semanas antes, o governo atingira seu pior patamar de popularidade, com o instituto Datafolha mostrando que 51% da população consideravam a gestão ruim ou péssima.

Mas a prática de financiamentos caros a postagens é recorrente no ministério. Desde janeiro de 2020, foram gastos R$ 4,7 milhões para alavancar 136 posts em Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

As postagens sobre auxílio emergencial custaram R$ 1,2 milhão, 26% do total.

Há apenas sete meses sob a gestão Roma, a pasta gastou R$ 3,6 milhões com os impulsionamentos. Sob Onyx Lorenzoni, a despesa foi de R$ 713 mil.

As informações foram passadas pela pasta à agência Fiquem Sabendo, especializada no acesso a informações públicas.

(Atualização: O Ministério da Cidadania enviou nota em que informou que custou R$ 3.498,63 o impulsionamento do post “O Auxílio Emergencial já beneficiou mais de 68 milhões de pessoas. Em 2021 o Governo Federal continua levando mais dignidade para o André e para milhões de famílias brasileiras. Auxílio Emergencial. #IssoéCidadania”, publicado no perfil da pasta no Facebook no dia 19 de julho de 2021. O post alcançou, segundo a pasta, 481 mil pessoas. O investimento de R$ 441 mil se refere a um vídeo-tutorial sobre o Auxílio Emergencial, publicado em julho, que teve, segundo o ministério, o resultado de alcance de 60 milhões de pessoas. A informação atribuindo o investimento de R$ 441 mil a um post de baixa performance foi passada pelo Ministério por meio da Lei de Acesso à Informação.)

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna