Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Natália Portinari

General diz que apoiadores de Bolsonaro agem como uma seita

Em seu novo livro, o general Alberto Santos Cruz defende que o fanatismo de bolsonaristas faz mal ao Brasil

atualizado 04/11/2022 7:51

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro fazem protesto e acampam no QG do exército e pedem intervenção dos militares após os resultado das eleições 2022 - Metrópoles Hugo Barreto/Metrópoles

O general Alberto dos Santos Cruz lançará, este mês, pela editora Almedina, suas impressões sobre o governo Bolsonaro, a partir da perspectiva de quem apoiou Bolsonaro, foi seu ministro e foi demitido pelo presidente. Em “Democracia na prática”, Santos Cruz defende que o fanatismo de bolsonaristas faz mal ao Brasil.

O general da reserva compara os apoiadores de Bolsonaro a integrantes de “seita”.

“O fanatismo caminha junto com o crime e SEMPRE [sic] termina em violência. Se não for violência generalizada, ao menos ela ocorre em casos pontuais. O Brasil, atualmente, apresenta considerável risco de violência com origem no fanatismo político”, escreveu o general já prevendo o que aconteceria após as eleições caso Jair Bolsonaro não ganhasse.

No livro, o general fala também sobre a “cartilha do totalitarismo” usada por Bolsonaro e seus aliados. Santos Cruz compara ideais totalitários, existentes em regimes militares ao redor do mundo, com acontecimentos brasileiros.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna