Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Deputadas querem punir senador após declarações contra mulheres

Styvenson Valentim insinuou que mulher mereceu ser agredida

atualizado 28/07/2021 12:42

Edilson Rodrigues / Agência Senado

Após o senador Styvenson Valentim ter insinuado que uma mulher havia merecido ser agredida, a Secretaria da Mulher e a Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados pediram a apuração da denúncia de violência contra a mulher e violência política de gênero por parte de Styvenson.

“A manifestação de Styvenson denota clara incitação à violência política de gênero e atenta contra a postura exigida a um parlamentar representante do povo”, afirmou a deputada Tereza Nelma, procuradora da Mulher, no ofício enviado a Rodrigo Pacheco.

Conforme a coluna noticiou no último sábado, ao comentar o caso de uma mulher agredida por um policial, Valentim insinuou que as atitudes da vítima podem ter feito que ela merecesse apanhar.

“Pelo vídeo, estou vendo que ele está dando dois tapas na mulher. Uns tapas bons. Mas sei lá o que essa mulher fez para merecer dois tapas. Será que ela estava calada, rezando o Pai Nosso? Eu não sei. Eu não sei”, disse o senador em um vídeo numa rede social.

Nesta mesma live, o parlamentar também debochou das agressões sofridas e denunciadas à Polícia Legislativa por Joice Hasselmann. Valentim acusou a deputada federal de ter cheirado cocaína e chegou a fazer menção a uma suposta traição conjugal.

O ofício enviado ao presidente do Senado solicita que os episódios sejam apurados e que o senador seja responsabilizado. Nelma expôs que as falas de Valentim são gravíssimas e endossam e legitimam o crime de violência contra a mulher, representando um ataque de um parlamentar contra todas as cidadãs brasileiras.

“Esse tipo de agressão mostra a face da violência que as mulheres sofrem ao ingressar na política. Não recuaremos de continuar defendendo a autonomia e a representação política das mulheres nos parlamentos”, afirmou a procuradora.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna