Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Delegados vão questionar PF sobre mudança na Interpol

A Associação de Delegados da Polícia Federal questiona a saída de Dominique de Castro Oliveira, que trabalhou no caso Allan dos Santos

atualizado 03/12/2021 13:49

Policia FederalAline Massuca/Metrópoles

A Associação de Delegados da Polícia Federal (ADPF) protocolará ainda hoje um ofício na PF questionando a saída da delegada Dominique de Castro Oliveira da unidade da Interpol no Brasil.

Para a entidade, falta clareza nos motivos alegados para a mudança. A PF justificou o remanejamento dizendo que falta pessoal na Superintendência Regional da PF no DF, local onde Oliveira passará a trabalhar. Com a saída da delegada, a Interpol ficará com apenas dois delgados, ante um efetivo de cinco em dezembro do ano passado.

De acordo com a carta de despedida da delegada, ela teria sido remanejada por ter feito algum comentário crítico sobre a atual gestão da PF que teria sido levado à direção do órgão. Ela não sabe, entretanto, que comentário poderia ser esse.

Além disso, interlocutores de Oliveira dizem que ela trabalhou na extradição do ativista bolsonarista, o que a PF nega. O caso já rendeu duas exonerações, uma no Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça (DRCI) e outra na assessoria internacional do Ministério da Justiça.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna